Bom dia, Sábado 15 de Agosto de 2020

Artigo

Corona Vírus ou COVID-19

30 de Março de 2020 as 16h 46min

De vez em quando uma “nova doença” acomete a população mundial, já sobrevivemos há tantas “Pandemias” (doença epidêmica amplamente disseminada nos 06 continentes) que em pleno século XXI torna-se difícil de acreditar que haverá uma devastação na humanidade, naturalmente pessoas padecerão destes males em especial aos portadores de co-morbidades ou Doenças Crônicas Não Transmissíveis como cardiopatias (doenças do coração), nefropatias, (doenças do rim) pneumopatias (doenças do pulmão) e etc., (geralmente idosos neste grupo) e também portadores de doenças auto-imunes (é uma condição que ocorre quando o sistema imunológico ataca e destrói tecidos saudáveis do corpo por engano), imunodeprimidos (uma pessoa cujo sistema imunológico está enfraquecido (geralmente população mais jovens), e assim por diante, mas vamos analisar nosso histórico para entendermos mais sobre o assunto.

Em 1918 a Gripe Espanhola, foi considerada a mãe de todas as pandemias e causada pelo vírus H1N1, que é semelhante ao vírus da gripe suína, estima-se que tenha matado mais de 50 milhões de pessoas em todo o mundo com 40% da população infectada. Em 1957 sofremos com a Gripe Asiática que pode ter matado mais de 2 milhões de pessoas pelo mundo e que curiosamente surgiu na china também.

De acordo com a OMS a gripe Hong Kong (H3N2) foi uma possível variação da gripe asiática e matou 1 milhão de pessoas no ano de 1968. E a pandemia mais recente na nossa historia foi em 2009 quando tivemos a Gripe Suína também causada pelo vírus (H1N1) com saldo de 300 mil pessoas mortas em 187 países, e agora, nos deparamos com mais uma crise mundial, curiosamente com inicio na china.

Sabe-se que Corona Vírus batizado pela OMS de COVID-19, é na verdade é um grupo de vírus que foi descoberto em meados de 1960 com os primeiros casos de contaminação na Arábia Saudita e tinha relação direta com doenças do aparelho respiratório em especial com uma doença que ficou conhecida como MERS / MORS, ou Síndrome Respiratória do Oriente Médio que infectava pessoas e animais, a partir de então novos testes e novas descobertas foram feitas e junto com isso todo o medo de uma pandemia, ao considerar que o vírus sofre mutações tornando cada vez mais contagiante e com taxa de letalidade de 35% a 40% em especial na população já citada aqui.

Vimos até aqui que é verídico o fator da transmissão, da letalidade e dos óbitos nestas pandemias, mas o que não podemos desconsiderar é que a historia revela que a origem destes males citados geralmente de outros continentes de pessoas com culturas diferentes, que tem estilo de vida diferente, com hábitos diferentes, vivendo em climas diferentes, consumos diferentes e etc.

Também é um fator crucial no desenvolvimento de varias outras doenças, assim como nós temos hábitos bem diferentes nos estados brasileiros e nos deparamos com doenças regionais com maior incidência local, não seria diferente com outro continente, mas levando em conta todos esses detalhes recorremos ao regionalismo também para salientar a resistência de determinados povos a determinadas doenças, por exemplo, a gripe mata, mais mata muito mais na Europa que no Brasil, é só observar as estatísticas mundiais, parece haver uma baixa resistência européia que pode ser em decorrência do clima e etc., Tanto que lá se pesquisa muito sobre a gripe, enquanto o Brasil tenta combater a fome que leva a desidratação, desnutrição e o depauperamento orgânico aumentando a probabilidade de contrair doenças regionais ou não.

Por fim, o vírus é real, sua propagação também é real, há necessidade de prevenção é mais real ainda e diminuir a circulação do vírus pelo Brasil é uma grande alternativa, ate por que a prevenção sai muito mais barato do que o tratamento hospitalar, onde entra o poder publico com suas estratégias para inibição do caos, alias caos propagado por muita gente desinformada, ou ate informada em busca de holofotes, além de outros oportunistas que aparece a cada 3 anos e meio em busca de espaço na mídia ao considerar que é um ano político. A população precisa de apoio? Sim. Precisa de orientação? Mais ainda. Porém que seja de forma qualificada, orientada por profissionais preparados e com entendimento do impacto que trará a sociedade com medidas austeras e radicalismo filosófico que muito se questiona a verdadeira efetividade dessas ações.

É necessário que haja consenso entre a técnica e a pratica, a literatura e a realidade, o técnico muitas vezes por insegurança de suas ações defende tudo que julga ser necessário para inibir o crescimento do mal, o gestor analisa todos os ângulos e o impacto que virá sobre a vida das pessoas, bem como a receita e as despesas ou como sobreviver após o tão propagado caos, e o ingênuo nem da muita bola para tanto barulho. O certo mesmo é que medidas devem ser adotadas sim, sem excessos e consciente, afinal, o mundo não pode parar, a vida vai continuar, de certo, alguns poderão ficar para trás, quem sabe num mundo melhor que este, mas nós sobreviveremos e nossa historia será contada outra vez.

Portanto, faremos nossa parte enquanto por aqui estiver lavando as mãos com frequência, evitando contato muito próximo com pessoas com histórico de infecção respiratória aguda ou com sintomas de gripe e resfriado, usar mascara quando sintomas surgir ou quando próximo de pessoas sintomáticas, usar lenço descartável para higienizar o rosto, levando à mão a boca quando tossir ou espirrar, e depois lavar as mãos novamente com sabão e evitar tocar em maçaneta de portas principalmente em ambientes públicos, utilizar álcool em gel, e procurar assistência medica se tiver dificuldade respiratória ou tosse com febre, caso nada disso ocorra o melhor é permanecer em casa saindo somente para o essencial, isso tudo hoje pode ser o diferencial para atravessarmos mais esse período que breve passará, se Deus quiser.

Fonte: OMS/OPAS

Manoelito Rodrigues

Falando de Saúde

COMENTARIOS