Bom dia, Domingo 17 de Novembro de 2019

Artigo

Papel Proativo das Tecnologias na EducaçãoX Reativo Governamental

04 de Novembro de 2019 as 15h 34min

Na década de 90 ainda se reprisava dois desenhos animados muito populares: “Os Flintstones” e “Os Jetsons” criados em 1960 por Hanna-Barbera. O primeiro se ambientava na pré-históriae o segundo era futurista,no ano de 2060. Muitos imaginavam que no futuro próximo, em especial na famosa “Década da Educação” iniciada com a promulgação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB9.394/96) - aconteceria uma pujança em ações Pedagógicas e tecnológicas em âmbito nacional.

Já se passaram duas décadas, e se supúnhamos que o Brasil futurista dos Jetsons estaria em pleno vigor, com escolas que dispunham de instalações modernas e equipadas com as melhores tecnologias digitais, disseminando informações e produzindo conhecimentos. Entretanto, a realidade não é bem essa...

Os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN): Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, privilegiam tanto a aquisição como o desenvolvimento das competências gerais do aluno, refletindo rumo a um novo paradigma educacional, onde as tecnologias mediaram as ações pedagógicas com o intuito de modificar as práticas sociais

Nesse viés o Ministério da Educação lança em 1997 o Programa Nacional de Informática na Educação (PROINFO) que trazia como meta, alavancar a qualidade do processo de ensino-aprendizagem, voltado para o desenvolvimento cientifico e tecnológico. Imbuído em atingir esse objetivo adquiriumicrocomputadores para atender osmunicípios.

Mas, com o passar dos anos, esses investimentos não se mantiveram, os computadores se tornam obsoletos, sendo necessário adquirir novas máquinas, para manter os laboratórios de informática em pleno funcionamento.

.

Dados Programa Internacional de Avaliação dos Estudantes  (PISA) de 2018, mostram que o Brasil tem a 2ª pior conectividade nas escolas, também o Censo Escolar de 2018 mostrou que entre as escolas de ensino médio no país, 15% não tem acesso à banda larga, 21,9% não possuem laboratório de informática e 4,9% não tem acesso a qualquer tipo de internet.

Em 2016 o Estado de Mato Grosso implementou a Educação Integral - projeto piloto com 4 unidades escolares,ampliado para 40 unidades em 2018 - entre os programas educacionais, ressalto o Programa Conectar/EnsinoDigital, comdisponibilização de 1 milhão de tablets, além de infraestrutura e conteúdo. E apesar de bastante significativo essa ação, sabemos que ela não abarca a demanda existente no estado.

Com a efetivação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) um dos pilares importantes é a cultura digital, e em suas competências gerais, reitera o direito de aprendizageme desenvolvimento  dos estudantes e a tecnologia é reafirmada como importante ferramenta para estímulo do pensamento crítico,criativo, lógico e proativo no processo de aprendizagem.

Em tempos de contingenciamento e cortes de verbas, vamostorcerpara que as competências e habilidades, previstas na BNCC, não fiquem somente no papel, e que o poder público seja proativo, em ações que propiciem financiamentos efetivos na educação.

Então... Não somos os Flintstones, mas estamos longes de sermos os Jetsons!!

 

Bibliografia:

Competências gerais na BNCC

https://www.somospar.com.br/como-o-uso-da-tecnologia-e-previsto-pela-base-nacional-comum-curricular-bncc/ Acesso em: 05 set. 2019.

Falta de estrutura e de formação impede tecnologia nas escolas.

https://oglobo.globo.com/sociedade/educacao/educacao->. Acesso em: 05 set.2019.

Por: Tatiana Petri Lopes

E-mail: proftatipetri@hotmail.com

* Este texto foi produzido para a disciplina de Teoria Linguística, do Curso Pós-Graduação Stricto Sensu - PPGLetras (UNEMAT/Sinop), sob orientação da profa. Dra. Leandra Ines Seganfredo Santos.

Tatiana Petri Lopes

ARTIGO

COMENTARIOS

Veja Também