Bom dia, Sábado 30 de Maio de 2020

Economia

Alimentos mantêm alta da inflação de Sinop em março

Disparada no preço dos alimentos manteve alta da inflação mesmo com a queda nos combustíveis

Sinop | 22 de Abril de 2020 as 18h 54min
Fonte: Jamerson Miléski

A inflação de Sinop no mês de março seria negativa se não fosse pela disparada nos preços da alimentação. Os itens do grupo “Alimentos e Bebidas”, que responde por 24% da cesta de consumo do sinopense, subiu 1,23% no último mês – cerca de uma vez e meia a inflação local acumulada no ano de 2020. Comer e beber, em casa ou fora, ficou significativamente mais caro, mesmo em tempos de isolamento social.

Os dados são do departamento de Economia da Unemat, em parceria com a CDL Sinop, divulgados nesta quarta-feira (22). O impacto na economia só não foi maior porque o segundo grupo mais representativo da cesta de consumo, os “Transportes”, tiveram uma deflação de -1,84%. Também ajudou a reduzir a inflação geral a queda nos preços dos “Artigos para Residências”, com -1,34%.

No balanço geral, a inflação de Sinop no mês de março foi de +0,13%. Com isso a inflação acumulada em 2020 chegou a +0,83% e nos últimos 12 meses +3,28%. Isso significa que o poder de compra de R$ 1.000,00 em março de 2019 hoje corresponde a R$ 967,20. A inflação local é praticamente idêntica a média nacional, com acumulado dos últimos 12 meses de +3,30%.

 

Nada básico

A alta no preço dos alimentos fica mais evidente no levantamento da cesta básica – também monitorada pelo departamento de Economia da Unemat e CDL Sinop. No mês de março, os 13 itens em quantidades suficientes para manter um humano adulto nutrido por 30 dias, custaram R$ 492,75 – na média.

Isso representa uma alta de +1,91% com relação ao mês anterior. Banana, tomate, batata e arroz foram os itens que mais subiram.

Em outubro de 2019, a Cesta Básica em Sinop custava em média R$ 431,36 (dados do estudo). Em 6 meses, esses itens mais básicos do consumo humano subiram 14%.