Bom dia, Domingo 17 de Novembro de 2019

Economia

Capital humano, “social” e infraestrutura derrubam Sinop no Ranking Exame

Cidade teve ótimo desempenho no Desenvolvimento Econômico, mas falhou nas outras áreas

Avaliação | 11 de Outubro de 2019 as 11h 13min
Fonte: Jamerson Miléski

Sinop voltou a figurar no ranking das 100 melhores cidades para fazer negócios – elaborado pela Urban System a pedido da Revista Exame. Esse é o 4º ano consecutivo que a maior cidade do Norte de Mato Grosso aparece na lista dos “Top 100” melhores municípios para se investir. Se por um lado a pesquisa mostra o pujante desenvolvimento econômico de Sinop, por outro expõe as deficiências de uma cidade que cresce acima da média nacional.

Na edição 2019, publicada ontem, quinta-feira (10), pela Revista Exame, apenas duas cidades de Mato Grosso aparecem no Ranking das 100 Melhores Cidades Para Fazer Negócios. A capital Cuiabá é a 14ª – subindo 4 posições com relação ao ano anterior. Sinop, que em 2018 figurou na posição 26 do ranking, neste ano caiu para 33º lugar. O motivo da queda não foi a retração econômica.

A pesquisa desenvolvida pela Urban System avalia 4 grupos de desenvolvimento: Econômico, Social, Capital Humano e Infraestrutura. Destes extrai-se a média para o Top 100.

O quesito Desenvolvimento Econômico leva em consideração o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto), a geração de empregos, renda média dos trabalhadores, crescimento empresarial, diversidade econômica, importações, exportações e também dados financeiros, como depósitos em poupança, financiamentos e dívida consolidada do setor público. Nesse ponto, Sinop “surfa”. Quando apenas o Desenvolvimento Econômico é avaliado, Sinop salta da 33ª posição para a 13ª – ficando a frente de grandes capitais como São Paulo, Belo Horizonte, Curitiba e até mesmo Cuiabá. A capital de Mato Grosso cai para 34ª posição quando apenas o fator econômico é avaliado.

Sinop só não está em uma posição mais relevante no ranking das 100 cidades porque falha nos demais quesitos avaliados pela pesquisa. Quando o assunto é Capital Humano, Cuiabá salta para a 6ª posição. Já Sinop desaparece – não sendo listada entre as 100 mais.

No tópico “Capital Humano” a Urban System avalia “questões sociodemográfica, econômicas e do setor de educação, em diferentes níveis de ensino, contrapondo não apenas a oferta do capital humano atual, como também o cenário futuro”. Sinop tem um péssimo desempenho nesse quesito, e também nos outros.

No levantamento referente ao Desenvolvimento Social, a pesquisa avalia o reflexo do desenvolvimento de negócios na cidade sobre a população local, por meio de indicadores como educação, saúde, segurança, IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) e a “Esperança de Vida ao Nascer” – um indicador medido pelo IBGE. Nesse item, nem Cuiabá, nem Sinop – ou qualquer outra cidade de Mato Grosso – aparece na lista dos Top 100.

A ausência de Sinop se repete quando o assunto é Infraestrutura. Quando são avaliados apenas os indicadores referentes às facilidades que proporcionam ao desenvolvimento de empresas e negócios, como distribuição de água e esgoto, telecomunicações, energia e logística, Sinop não aparece entre as 100 mais. Cuiabá é a única cidade de Mato Grosso na lista, ocupando a 83ª posição.

A avaliação da Revista Exame/Urban System expõe a defasagem de um Estado que apesar de muito rico e pujante ainda não consegue oferecer qualidade de vida e um ambiente prospero para sua população.

A pesquisa

O Ranking das Melhores Cidades para Fazer Negócios avalia os municípios com mais de 100 mil habitantes em 2018 (IBGE). Nesse grupo entram 317 municípios, do total de 5.570 municípios do país.

Esse grupo de cidades é responsável por 70% do PIB brasileiro, 62% das empresas do país, 72% dos empregos formais e 57% da população brasileira.

No total, a Urban System avalia 27 indicadores distribuídos nos 4 eixos da pesquisa.

 

COMENTARIOS