Bom dia, Quarta Feira 13 de Dezembro de 2017
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Em 7 meses, Sinop exportou mais do que o acumulado em 2016

GC Notícias | 24/08/2017 17:01

De janeiro a julho, empresas de Sinop negociaram 420,6 milhões de dólares com outros países

De acordo com os números do Ministério do Desenvolvimento e Comércio Exterior, as exportações de Sinop entre janeiro a julho de 2017 somaram 420,6 milhões de dólares – cerca de R$ 1,3 bilhão. Isso é mais do que o saldo total dos produtos exportados em 2016. No ano passado, Sinop exportou nos 12 meses cerca de 419,2 milhões de dólares.

O pico das exportações foi no mês de junho, quando foram comercializados 121,6 milhões de dólares. Dinheiro gringo que entra diretamente na economia local. Nesse mesmo período o município importou o equivalente a 625 mil dólares em produtos – um saldo positivo de 420 milhões de dólares na balança comercial local.

O principal produto exportado foi a soja. Foram 376,5 milhões de dólares em 7 meses. Em segundo lugar está o milho, com 34,6 milhões de dólares. Os grãos respondem por 97% das exportações de Sinop em volume financeiro. Mas não são a única coisa que o município exporta.

De janeiro a julho, Sinop realizou exportações de produtos classificados em 10 diferentes grupos, totalizando R$ 30 milhões. O mais importante é que, fora os grãos, os demais produtos exportados são todos industrializados.

O terceiro produto mais exportado de Sinop foram carnes bovinas refrigeradas ou congeladas. O produto que sai dos frigoríficos locais totalizou 4,1 milhões de dólares em negócios no exterior. Foram mais de mil toneladas de carne saindo de Sinop para outros países.

Do boi, Sinop também exportou 1,9 milhão de dólares em couro e 1,7 milhão em miúdos (tripas, bexigas e estômagos). O restante dos negócios internacionais foi com madeira.

O município vendeu para o exterior nesses 7 meses 1,7 milhão de dólares em madeira serrada, 252 mil dólares em compensados e 32,8 mil dólares em painéis de carpintaria. Também foram registradas vendas de móveis (27 mil dólares) e de cabos para ferramentas (17,5 mil dólares). Tudo saindo de Sinop.

O principal destino da produção industrial local é a China, compradora de 33% do que Sinop exporta. Em segundo lugar está a Rússia, com 18%, seguido da Espanha com 13%. Holanda fez 6% das compras e Itália 4%. Outros 24 países estão no grupo de compradores da produção de Sinop, com menos de 3% de participação.

 

E o que importa?

Enquanto apenas 3% do que Sinop exporta sofre algum tipo de industrialização, 100% do que o município importa é industrializado. A análise parece “ruim”, mas o volume do que a cidade compra de outros países é incipiente se comparado às exportações.

De janeiro a julho de 2017 Sinop importou o equivalente a 625 mil dólares. Em 2016, as importações totalizaram 2 milhões. A lista produtos que Sinop importa mais parece uma lista de varejo. São itens divididos em 37 diferentes grupos, chegando a ter compras de 100 dólares.

Nessa lista de miscelâneas, o principal produto importado por Sinop foram tubos de borracha não vulcanizada: 118 mil dólares. Em segundo lugar estão câmeras de ar, com 114,1 mil dólares. Entre as compras mais significativas estão 77,4 mil dólares em mates de cobalto e 64,2 mil dólares em tungstênio – metais utilizados pela indústria metalúrgica, para confecção de soldas e ligas metálicas.

Assim como tem se repetido nos anos anteriores, vários itens da lista de produtos importados em Sinop são equipamentos e acessórios para manutenção de aeronaves, como osciloscópios, rolamentos, correias e cabos de aço. Esses itens somaram cerca de 150 mil dólares.

Basicamente, Sinop exporta comida e importa metal e borracha da China. O gigante asiático foi o principal parceiro comercial do município, responsável por 79,7% do que foi importado pela cidade. Fecham a lista de países que exportaram diretamente para Sinop, Hong Kong (13,7%) e Itália (6,6%).

Fonte: Jamerson Miléski