Bom dia, Terça Feira 07 de Abril de 2020

Economia

Inflação de Sinop dispara e indica crescimento econômico

Preços ao consumidor subiram 0,79% em dezembro, maior alta do ano

Economia | 22 de Janeiro de 2020 as 12h 04min
Fonte: Jamerson Miléski

O ano de 2019 terminou com o pico de inflação registrado em Sinop. Foi o que demonstrou o levantamento realizado pelo departamento de Economia da Unemat, em parceria com a CDL Sinop. Os dados apresentados na manhã desta quarta-feira (22), revelam que os preços ao consumidor local tiveram uma alta geral de 0,79%. A maior inflação até então havia sido em abril, com índice de 0,53%.

Alguns itens de consumo tiveram uma alta mais aguda. É o caso do grupo Alimentação – que responde por 24% da cesta de consumo do sinopense. Comida e bebida, em supermercados ou restaurantes, ficaram 2,13% mais caros em dezembro. O grupo “transportes” também teve elevação acima da média, com 1,12%.

Outros grupos que registraram alta nos preços são Despesas Pessoais (+0,66%), Comunicação (+0,42%), Saúde (0,30%), Educação (+0,24%), e Vestuário (+0,12%). Em contrapartida os preços caíram nos grupos Habitação (-0,39%), e Artigos para Residência (-0,32%).

Para o economista da Unemat, Feliciano Azuaga, a alta na inflação local segue o que foi registrado nacionalmente, sendo um indicador de crescimento econômico. “Inflação acima da média no último mês do ano é um sinal de que a economia vai bem, que o consumidor está comprando e os preços podem sofrer reajustes”, pontuou Azuaga.

O economista lembrou que em função dessa alta nacional na inflação, o salário mínimo que já havia sido fixado teve que ser corrigido em R$ 6,00. “É um sinal claro de crescimento econômico e um indicador que, talvez em 2020, o país volte crescer acima dos 2% ao ano – algo que não ocorre há mais de 20 anos”, avaliou.

De forma geral, a inflação local no acumulado do ano ficou em 3,43% - o que é considerado uma inflação “sadia”. Já a inflação nacional acumulada em 2019 foi de 4,31%.

Alimentos mais caros

Além do aumento geral no preço dos alimentos, o custo da cesta básica também subiu em dezembro. Os 13 itens que compõem a cesta básica, em quantidades suficientes para alimentar um humano adulto por 30 dias, ficou 2,40% mais cara.

Em Sinop, o custo médio da cesta básica em dezembro foi de R$ 449,78 – cerca de R$ 10,00 mais cara que no mês anterior. Segundo Azuaga, a carne bovina e o feijão foram os itens que mais impactaram na alta global. O café, por sua vez, ficou mais barato.