Boa tarde, Quinta Feira 16 de Agosto de 2018
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Sinop fecha 2017 com inflação de 4,11%

GC Notícias | 12/01/2018 17:07

Inflação local foi maior que a média nacional

A inflação de Sinop, medida pelo departamento de economia da Unemat, em parceria com a CDL, fechou o ano de 2017 em 4,11%. A elevação dos preços ao consumidor no município foi maior que a média nacional, registrada em 2,95% ao longo dos 12 meses. Embora mais elevada, a inflação local ainda se manteve na “meta” estabelecida pelo governo federal, de 4,5%.

Economicamente, o ano de 2017 foi dividido em duas partes. O primeiro semestre contido, com elevações módicas nos preços. De janeiro a junho, a inflação de Sinop foi de 0,67%, praticamente imperceptível. A partir do segundo semestre começa uma “gangorra” inflacionária, testando o aumento de preços do consumidor até a capacidade do mercado suportar.

Em julho o aumento superou os 6 meses anteriores, alcançando 0,76% em um único mês. Agosto voltou a subir, com alta de 0,83%, explodindo em setembro, com um pico de 1,95% de reajuste. Em 3 meses, a inflação geral de 2017, que era de 0,67% passou para 4,21%.

A estrapolação nos preços foi refreada no mês seguinte. Em outubro os custos ao consumidor tiveram uma deflação de -1,14%. A queda não gerou estabilidade. Em novembro, os preços subiram 0,91%. O histórico inflacionário de 2017 fecha com um reajuste figurativo em dezembro, de 0,13%.

Conforme o relatório do departamento de Economia da Unemat, só não houve deflação em dezembro em função da pressão exercida pelos dois principais grupos de consumo. Alimentação subiu 0,41%, enquanto Transporte teve alta de 1,06%. Grupos menos expressivos na cesta de consumo como saúde (+0,13%), Educação (+0,08%) e Comunicação (+0,01%), também tiveram altas moderadas.

Em contrapartida, quedas foram registradas em Artigos para Residências (-0,63%), Habitação (-0,55%), Despesas Pessoais (-0,20%) e Vestuário (-0,18%).

 

Cesta Básica

O conjunto de 13 alimentos em proporções suficientes para alimentar um homem adulto pelo período de um mês – chamada de Cesta Básica – chegou a dezembro com o maior preço do semestre. A média de preço da Cesta Básica em Sinop no último mês foi de R$ 378,15 - um aumento de 3,57% em relação a novembro. A cesta chegou a custar R$ 385,22 no mês de abril.

Os itens com maior alta foram banana (18,92%), da farinha (5,00%) e leite (5,25%). Em contrapartida, houve queda nos preços médios do feijão (-11,35%), e do tomate (- 2,80%).

A cesta básica mais cara do país, medida pelo DIEESE, continua sendo em São Paulo (R$ 424,37). Em Cuiabá, a cesta básica custou R$ 394,10 em dezembro.

Fonte: Jamerson Miléski