Boa tarde, Segunda Feira 25 de Março de 2019

Educação

Comitiva de Primavera do Leste conhece instalações da Fasipe

Poder público e iniciativa privada somam esforços para implantar uma nova faculdade no município

Sinop | 22 de Fevereiro de 2019 as 15h 33min

A Fasipe – instituição de ensino superior que nasceu em Sinop – tem um plano de expansão que prevê a abertura de 2 novas unidades por ano a partir de 2020. Para que esse cronograma de ampliação comece por Primavera do Leste, lideranças públicas e privadas do município formaram uma comitiva que visitou as instalações da instituição nessa sexta-feira (22). Foi uma visita “diplomática”, com interesse bilateral. De um lado, o pessoal de Primavera do Leste pedindo que a Fasipe se instale no município. De outro a Fasipe dizendo que quer ir.

A comitiva foi recepcionada pelo fundador e diretor geral da Fasipe, Deivison Benedito Pinto. No grupo que visitou a instituição estava o prefeito de Primavera, Leonardo Bortolini, a secretária de Educação, Adriana Tomasoni e o empresário Marco Kunzler, proprietário do empreendimento imobiliário que disponibilizou uma área de terra em Primavera do Leste para a Fasipe construir sua sede.

Deivison ouviu o pleito das lideranças de Primavera, falou do plano de expansão da instituição e apresentou a estrutura da Fasipe Sinop – com direito a um café da manhã no laboratório do curso de Gastronomia. “É exatamente isso que Primavera quer”, declarou o prefeito ao constatar a estrutura da Fasipe.

Segundo ele, Primavera tem duas instituições de ensino superior: o IFMT, com 1.150 alunos e um faculdade privada, com 5 mil alunos. Recentemente essa faculdade mudou seu sistema de ensino, passando para o modelo de aulas virtuais, sem professores em sala de aula. Isso, afirma Leonardo, criou uma demanda nova na cidade, tanto de alunos buscando cursos presenciais, quanto de professores. “Não é apenas uma questão de garantir ensino superior para que o jovem se fixe no município. O que queremos é que jovens de outras cidades venham morar em Primavera para estudar”, ambicionou o gestor. Segundo ele, provocar a Fasipe foi uma forma proativa de atrair o investimento para a cidade.

A provocação funcionou. Deivison disse que Primavera do Leste já estava em seus planos. Conforme o GC Notícias já noticiou, a Fasipe tem um plano de expansão para estar presente em 12 municípios nos próximos 5 anos. “Com essa articulação política e boa vontade demonstrada pelas lideranças de Primavera, a cidade passou na frente”, comentou Deivison.

O empresário declarou que começará ainda esse ano os procedimentos junto ao MEC para abertura da instituição em Primavera, autorização de cursos e outros processos burocráticos. Deivison pretende buscar uma instituição parceira – como o próprio IFMT – afim de começar os cursos antes da instalação da sede própria. “Queremos realizar o primeiro vestibular em dezembro desse ano”, disse.

A sede própria começa a ser construída em 2020. A Fasipe de Primavera será erguida em um terreno de 80 mil metros quadrados no Residencial Buritis. A estrutura inicial terá 5 mil metros quadrados, atendendo no primeiro ano 5 cursos com 50 acadêmicos cada turma. “Primavera do Leste é uma Sinop pronta para explodir”, disse Deivison justificando o investimento.

A Fasipe de Primavera começa com os cursos de Direito, Odontologia, Fisioterapia, Enfermagem e Psicologia. A alta carga de cursos vinculados a saúde é proposital. Para Deivison, esses cursos prestam um serviço para população que tem se tornado cada vez mais escasso. “Enquanto os profissionais dos cursos da saúde estão sendo formados, eles acabam atendendo a população, minimizando a carência desses serviços, cada vez mais precários no Estado. Depois de formados, esses profissionais ajudam a preencher os vazios da saúde, melhorando o serviço como um todo”, avaliou o diretor da faculdade.

A instalação da Fasipe em Primavera não está atrelada a nenhum incentivo fiscal concedido pelo poder público.

A Fasipe surgiu como instituição de ensino em Sinop, no ano de 2002. Hoje, em sua sede a instituição conta com 22 cursos regulares, todos 100% presenciais, além de 20 programas de pós-graduação. São 400 colaboradores e mais de 5 mil alunos.

COMENTARIOS