Bom dia, Segunda Feira 30 de Março de 2020

Educação

MEC indefere autorização de 2 cursos em Sinop

Instituição vai entrar com recurso e aulas continuam normalmente

Podada | 18 de Fevereiro de 2020 as 14h 56min
Fonte: Jamerson Miléski

Dois novos cursos superiores oferecidos na cidade de Sinop acabaram tendo suas autorizações indeferidas pelo MEC (Ministério da Educação e Cultura). A decisão foi publicada em portaria no diário oficial da União nesta terça-feira (18).

Os cursos suspensos pela portaria são da Faculdade de Tecnologia de Sinop – instituição de ensino superior privada que iniciou suas operações este ano. Pela decisão do MEC, estão indeferidos os cursos de Gestão do Agronegócio (tecnológico) e Ciências Aeronáuticas (bacharelado) – curso que é um dos “símbolos” dessa nova instituição. Os outros 3 cursos da Faculdade, Engenharia de Produção, Engenharia de Alimentos e Estética/Cosmética foram regularmente aprovados.

Para o proprietário e fundador da Faculdade de Tecnologia de Sinop, Johny Rattmann, a decisão do MEC surpreendeu a instituição. Segundo ele, todos os pontos estabelecidos pelo Ministério foram seguidos a risca e nas avaliações prévias a média da faculdade foi de 3,7 – sendo a nota máxima 5. “No caso específico do curso de Ciências Aeronáuticas também apresentamos a homologação da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil), que é um dos pontos mais críticos no processo de aprovação dessa cadeira. Não conseguimos entender a posição do MEC, acredito ser um detalhe administrativo e, por isso estamos entrando com o recurso”, destacou Rattmann.

O MEC tem 60 dias para apreciar o recurso e emitir uma posição. Enquanto isso a instituição mantém o seu funcionamento normal, recebendo a primeira turma de alunos que iniciou as aulas ontem, segunda-feira (17).

O curso de Gestão do Agronegócio oferece 50 vagas anuais e Ciências Aeronáuticas 80 vagas.

Em julho do ano passado o MEC autorizou o credenciamento da instituição, que nas primeiras avaliações ficou com nota 5 (pontuação máxima). O credenciamento autorizava a abertura de 5 cursos, incluindo os dois recentemente indeferidos. A instituição aposta na reversão da suspensão.