Boa tarde, Terça Feira 18 de Dezembro de 2018

Educação

Professores buscam adequar o ensino da língua inglesa a realidade de Mato Grosso

Grupo está definindo didáticas que integrarão os currículos das escolas estaduais

Educação | 31 de Janeiro de 2018 as 11h 59min
Fonte: Jamerson Miléski

Ajustar o idioma mais influente do mundo para ser compreendido pelos estudantes de Mato Grosso. Essa é a proposta de um grupo de trabalho formado por professores e técnicos, incumbidos de elaborar a base curricular para o ensino da língua inglesa nas escolas da rede estadual.

Uma das profissionais que integra o grupo é Lyssa Gonçalves Costa, professora de Português e Inglês, mestre em Estudos de Linguagem (UFMT) e Presidente da Associação de Professores de Língua Inglesa do Estado de Mato Grosso (APLIEMT). Ela é o único membro do grupo que não faz parte da folha de pagamento do governo do Estado. Sua contribuição com o arranjo do currículo da língua inglesa para rede pública é voluntária.

Para Lyssa, Mato Grosso pode aproveitar o ensejo da campanha televisiva “o Brasil que eu quero” para propor a pergunta: qual é a escola que nós queremos para Mato Grosso? “Esta é a pergunta que passa em minha cabeça ao trabalhar no grupo de língua inglesa para a estruturação do currículo mato-grossense para os próximos anos. Temos, é claro, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) como referência não só dos conhecimentos a serem adquiridos na educação básica, mas também as competências, os valores e as habilidades. O desafio é, portanto, a adequar o currículo para o nosso contexto regional”, comenta Lyssa.

Para a mestre em Estudos de Linguagem, a escola pública vem em uma busca pela formação integral dos alunos, preocupada em habilitar uma pessoa para trabalhar produtivamente, mas também para que seja capaz de argumentar, de colaborar e de respeitar as diferenças. A questão é, como fazer isso?

“Todos do nosso grupo temos consciência, por óbvio, que a BNCC e o currículo que estamos estruturando não é uma solução mágica. Mas é um início, é um ideal a ser batalhado e conquistado. Almejamos, acima de tudo, um ensino efetivo, sem pensar nos mínimos, mas possibilitar o máximo de cada um”, argumenta a professora.

A ampla discussão e a coleta de dispositivos que possam ser eficazes em sala de aula é o cerne desse trabalho. Ao GC Notícias, Lyssa expôs seu e-mail para publicação, afim de que qualquer profissional da área, com alguma sugestão, possa colaborar com a formação do plano. “Quem tiver alguma ideia ou sugestão pode me enviar (lyssagon@gmail.com). Agora é o momento de fortalecermos essa discussão em prol da educação do nosso estado”, completou.

Lyssa Costa, presidente da associação de professores de inglês de Mato Grosso

 

O grupo de trabalho é formado por Itamar José Bressan, Responsável pelas Políticas de Formação para Professores de Inglês da Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer de Mato Grosso, Rosangela Zimmer, professora de inglês – Escola Souza Bandeira e Tancredo de Almeida Neves, Wanda Cecília Correa de Mello, professora técnica na SMECEL/VG, Célia Rosa Gomes, Centro de Recursos Didáticos de Espanhol, Lyssa Gonçalves Costa, Presidente da Associação de Professores de Língua Inglesa do Estado de Mato Grosso.

O plano em discussão será convertido em base curricular para a rede estadual, sendo aplicado a partir de 2019.

COMENTARIOS