Bom dia, Segunda Feira 14 de Outubro de 2019

Esporte

A história de um camisa 10

O sonho da mãe de Kauã era que o filho fosse jogador de futebol

Copinha Flamengo/TV Capital | 08 de Agosto de 2019 as 18h 32min
Fonte: Jamerson Miléski

Foto: GC Notícias

Sábado, 8h da manhã. Vestindo o novo uniforme, alinhado, com as chuteiras limpas e sem qualquer semblante de cansaço, Kauã Pereira Madeiro puxava a fila do time formado por alunos da 7ª e 8ª série da Escola Menino Jesus, do município de Tabaporã, no interior de Mato Grosso. Com o olhar focado, o camisa 10 de apenas 13 anos entrava em campo junto com outros meninos da sua idade. Era a primeira partida da Copinha da Escola Flamengo/TV Capital. O primeiro jogo de uma competição amadora, na cidade de Sinop.

Enquanto os demais atletas esperavam o apito do árbitro para começar o jogo, a partida já tinha iniciado para Kauã. Ele é aluno de outra escola e, para essa competição, foi chamado para compor o time da Menino Jesus. Seus habituais “rivais” agora eram colegas de equipe. Mas essa não era a situação mais difícil que aquele menino tinha que lidar.

Depois de meses doente, a mãe de Kauã, Maria dos Santos Pereira, foi hospitalizada tardiamente. Apesar do tratamento em curso, não resistiu. Foi uma morte precoce. Maria morreu na sexta-feira, 2 de agosto. Ela partiu horas antes do seu filho entrar no ônibus junto com os demais colegas de equipe, para jogar em Sinop. “O sonho da minha mãe era ver eu me tornar um jogador de futebol. Ela sofreu muito com a doença, mas agora Deus chamou ela”, contou Kauã.

Conciliando a dor da perda com a sensação de desolo de um menino que perde a mãe, Kauã deitou sua cabeça no travesseiro da casa agora mais vazia. Foram poucas e desconfortáveis horas de sono. Às 4h da manhã ele estava em pé, fardado, dentro do ônibus em direção à Sinop.

Kauã decidiu vir com a equipe e jogar apesar da circunstância. “É uma forma de eu ficar menos triste e fazer algo que ela gostaria”, disse o atleta. Depois de mais de 3 horas na estrada, parte de terra, parte de asfalto, o time tímido de visitantes chegou para estrear na competição.

Kauã começou jogando, titular da equipe. Na Copinha Flamengo/TV Capital, cada empresa apadrinha um time, estampando seus uniformes e batizando a equipe. Quem apadrinhou o time da Escola Menino Jesus foi o GC Notícias. Nesse grupo de alunos jogadores, aleatoriamente escolhidos, havia uma história para ser contada.

Nem o cansaço, nem a dor da perda, nem o medo da estreia frearam o ímpeto juvenil da criança que ama jogar bola. Kauã jogou a maior parte da partida, marcou um gol e ajudou seus companheiros a vencerem o jogo por 6 a 0. No lugar da euforia da vitória, um tímido sorriso agora ocupava o rosto de Kauã. “Consegui fazer um gol para minha mãe”, explicou.

Assim que o jogo terminou, Kauã e seus colegas de time saíram do campo e foram direto para o ônibus. Era hora de voltar para casa e começar uma nova partida. Só que dessa vez, com a torcida desfalcada.

COMENTARIOS