Bom dia, Quinta Feira 13 de Dezembro de 2018

Geral

Com dois frigoríficos fechados, produtores da região oeste de MT enfrentam dificuldades para abater animais

Sindicato diz que apenas três plantas frigoríficas funcionam na região

Mato Grosso | 26 de Fevereiro de 2018 as 10h 04min
Fonte: G1 MT

Responsáveis por 1/5 de todo o abate realizado em Mato Grosso, os produtores da região oeste do estado enfrentam um grande desafio no mercado, com duas plantas frigoríficas fechadas e apenas três em funcionamento para abater os animais.

No ano passado, mais de 1 milhão de animais foram abatidos na região. Comparado com 2016, houve um acréscimo de 5,5%, o que representa mais do que a média de abate do estado, que apresentou um crescimento de 3,55% no passado, atingindo quase 5 milhões de cabeça abatidas.

Segundo o presidente do Sindicato Rural de São José dos Quatro Marcos, a 343 km de Cuiabá, Alessandro Casado da Silva, apesar dos investimentos e da melhora nos resultados dentro das fazendas, com o aumento da produtividade e do rebanho, por exemplo, os desafios dos pecuaristas da região estão relacionados à venda do boi.

“O nosso principal desafio hoje é mercado, com o fechamento de alguns frigoríficos, e a parte logística da nossa região, que hoje é precária, com estradas ruins”, afirmou.

De acordo com o sindicato, a reabertura de um frigorífico em julho do ano passado deu um fôlego aos produtores, com abate de aproximadamente 1000 cabeças por dia, mas não resolveu o problema, uma vez que duas das cinco plantas frigoríficas instaladas na região continuam fechadas.

esponsáveis por 1/5 de todo o abate realizado em Mato Grosso, os produtores da região oeste do estado enfrentam um grande desafio no mercado, com duas plantas frigoríficas fechadas e apenas três em funcionamento para abater os animais.

No ano passado, mais de 1 milhão de animais foram abatidos na região. Comparado com 2016, houve um acréscimo de 5,5%, o que representa mais do que a média de abate do estado, que apresentou um crescimento de 3,55% no passado, atingindo quase 5 milhões de cabeça abatidas.

Segundo o presidente do Sindicato Rural de São José dos Quatro Marcos, a 343 km de Cuiabá, Alessandro Casado da Silva, apesar dos investimentos e da melhora nos resultados dentro das fazendas, com o aumento da produtividade e do rebanho, por exemplo, os desafios dos pecuaristas da região estão relacionados à venda do boi.

“O nosso principal desafio hoje é mercado, com o fechamento de alguns frigoríficos, e a parte logística da nossa região, que hoje é precária, com estradas ruins”, afirmou.

De acordo com o sindicato, a reabertura de um frigorífico em julho do ano passado deu um fôlego aos produtores, com abate de aproximadamente 1000 cabeças por dia, mas não resolveu o problema, uma vez que duas das cinco plantas frigoríficas instaladas na região continuam fechadas.

COMENTARIOS