Boa noite, Domingo 21 de Outubro de 2018
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Expansão da Avenida das Figueiras tem rede de drenagem mais alta que a pista

GC Notícias | 06/08/2018 16:19

Manobra da engenharia reedita prática que por anos causou alagamento na avenida central de Sinop

Tubos que formam a rede de drenagem mais altos em relação ao solo que pista de rolagem são os responsáveis pelos históricos alagamentos na Avenida Júlio Campos e na parte central de Sinop. A diferença de nível faz com que o duto de drenagem só atinja a plena vazão quando a pista já está coberta de água. Depois de anos, essa “solução” da engenharia volta a ser observada em uma obra pública.

O endereço é na Avenida das Figueiras, mais precisamente no trecho entre a Avenida dos Ingás e a Avenida André Maggi. O percurso, onde a avenida vira uma rua de pista dupla está sendo expandido, para melhorar a mobilidade urbana da cidade. O investimento de R$ 1,2 milhão é para que seja construída a outra via da Avenida das Figueiras, além de instalar a rede de drenagem.

O GC Notícias esteve no local. Por aproximadamente duas quadras, a linha de tubos de concreto fica acima do nível da pista. A obra está em fase de execução. A empresa contratada pelo poder público foi a G.Pissinati. A rede de drenagem será conectada ao duto na Avenida dos Ingás, com uma linha de tubos com 1,5 metro de diâmetro, coletando a água ao longo da Avenida das Figueiras, desaguando na rede de drenagem da Avenida André Maggi – quando a tubulação encontra com o córrego Marlene.

Segundo o engenheiro da prefeitura de Sinop, Ronaldo Silva, foi preciso fazer uma manobra de engenharia no local em função do pequeno espaço e da falta de desnível natural do terreno. O especialista explicou que a diferença de nível entre a tubulação e a pista está em um pequeno trecho da rede de drenagem e que será compensado com um desnível maior no final da rede, próximo a Avenida André Maggi. Conforme Ronaldo, nesse pedaço em que a rede está mais alta que o solo, os tubos conseguirão demandar 70% da sua capacidade (apenas 30% fica acima do nível da pista). O engenheiro acredita que isso seja o suficiente. “O correto para afundar essa rede de drenagem seria entrar na área de reserva [R-7, fundos da Unemat], e jogar essa água no córrego lá dentro. No entanto, isso traria implicações ambientais para o projeto, então a saída foi levar para a Av. André Maggi”, explicou o engenheiro.

Conforme Ronaldo, esse é um problema recorrente quando se projeta rede de drenagem em Sinop. Por ter uma topografia plana, há ruas extensas com menos de 20 cm de desnível natural, o que torna qualquer projeto um exercício de malabarismo das normas de engenharia. “Se fosse para fazer como se recomenda, teríamos que aprofundar essa rede em 2 metros, o que não é possível nesse local pelo nível em que está o córrego”, ressaltou Ronaldo.

O especialista reconheceu que essa não é a melhor solução e que existem situações similares em todo centro antigo de Sinop. Mas ele afirma que a rede de drenagem vai funcionar, mesmo com 30% da cota do tubo mais alto que a pista.

As escavações para a implantação da rede estavam, nessa segunda-feira (6), há uma quadra de chegar na Av. André Maggi. Cerca de 80% dos tubos que compõem a rede de drenagem estavam instalados. Nas próximas semanas tudo estará coberto por terra para então ser testado na primeira grande chuva da próxima estação.

Trecho mais a frente, com o declíve explicado pelo engenheiro

Fonte: Jamerson Miléski