Bom dia, Terça Feira 14 de Agosto de 2018
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Helicóptero do Exército leva medicamentos para Hospital de Sinop

GC Notícias | 30/05/2018 17:40

Cirurgias eletivas seguirão suspensas até a próxima segunda-feira

Um helicóptero do Exército Brasileiro se deslocou de Cuiabá nesta quarta-feira (30) carregado com 263 kg de materiais e medicamentos para abastecer o Hospital Regional de Sinop. A decisão de levar os insumos foi tomada pelo Comitê Gestor de Crise do Governo de Mato Grosso, criado para adotar as medidas necessárias diante do desabastecimento gerado pela paralisação nacional dos caminhoneiros.

Os produtos foram adquiridos em caráter emergencial para repor o estoque da farmácia do hospital, já que um caminhão que traria uma carga de remédios comprados pela Secretaria de Estado de Saúde (SES/MT) ficou retido em bloqueio na rodovia na divisa de Goiás com Mato Grosso.

A diretora do Hospital Regional de Sinop, Silmara Santana, relata que a carga contém atadura gessada para engessar pacientes, diversos fios cirúrgicos, anestésicos, seringas, antibióticos e anti-hipertensivos. “Material que estávamos precisando com urgência, porque com a demora da entrega terrestre acabamos usando todo o estoque regulador e alguns produtos transportados pelo helicóptero já estavam praticamente zerados no hospital”, pontua.

O Comandante Vlademir Tadeu Ferreira Júlio, chefe do Estado Maior da 13ª Brigada de Infantaria Motorizada, ressaltou a parceria entre Exército, Governo Federal e Governo de Mato Grosso para a garantia do desbloqueio de rodovias e também do atendimento às necessidades da população. “Debelada a questão de bloqueios, estamos dando atenção a outras áreas também prioritárias, como os medicamentos que seguiram para Sinop de forma emergencial”, frisou o comandante.

Durante a reunião do Comitê de Crise também foi anunciada a decisão de manter suspensa até segunda-feira (04) a realização de cirurgias eletivas. “Estarão suspensas ainda na segunda-feira porque, ao mesmo tempo em que essa paralisação vai acabando, é necessário também regularizar os estoques, principalmente de hortifrutigranjeiros, alimentos e gás de cozinha nos hospitais”, justifica o secretário-adjunto de Gestão Hospitalar da SES/MT, Cassiano Falleiros.

Todas as cirurgias suspensas serão reagendadas. Enquanto isso, os atendimentos de urgência e emergência seguem normalmente.

Fonte: Redação