Boa noite, Quarta Feira 13 de Dezembro de 2017
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Lideranças se mobilizam para implantar unidade do Hospital do Câncer de Barretos em Sinop

GC Notícias | 29/11/2017 10:56
Unidade de Campinas, similar a estrutura projetada para Sinop
Unidade de Campinas, similar a estrutura projetada para Sinop

Projeto filantrópico começa com uma doação milionária e a busca por colaboradores

Estabelecer uma unidade do mais eficiente hospital para tratamento de câncer no país conveniado ao SUS, em solo sinopense. Esse é o projeto de um grupo de lideranças de Sinop que iniciam uma mobilização para que a cidade seja sede de uma unidade do Hospital do Câncer de Barretos.

O projeto será anunciado oficialmente para comunidade na manhã desta quarta-feira (29). O mentor dessa iniciativa é o empresário Vilson Vian. Em setembro ele fez uma visita a Barretos, no interior de São Paulo, quando conheceu a estrutura do Hospital do Câncer. A estrutura e a forma como ela opera conquistaram o empresário, que se motivou a ser um multiplicador desse case de sucesso da saúde pública brasileira. “Quando você conhece a estrutura e percebe a forma como essas pessoas trabalham, a vontade é de ajudar e trabalhar para expandir. Disciplina e honestidade são normas que regem a filosofia do Hospital do Câncer de Barretos. É uma entidade que trata pessoas com câncer, sem custos, com excelência. Não há nada igual no mundo”, declarou Vilson Vian.

Nessa visita, Vian conversou com Henrique Prata, filho do fundador do Hospital do Câncer e atual presidente da instituição filantrópica, externando a vontade de implantar uma unidade em Sinop.

Com a sinalização foi positiva, Vian reuniu um grupo de lideranças para iniciar o projeto. Como ele diz, “esse não é um negócio para uma pessoa, mas para a comunidade”. Um comitê inicial foi formado. Encabeçado pela médica Anna Letícia Yanai, o comitê conta ainda com outras lideranças da cidade, do meio médico, empresarial, religioso e também profissionais liberais. É um grupo bastante “plural”. “A intenção é de que, a partir do início desse projeto, esse grupo de colaboradores cresça, com mais pessoas participando. O Hospital do Câncer de Barretos se mantém funcionando a partir de doações. É a comunidade solidária que ajuda a subsidiar os tratamentos. Com a unidade de Sinop não será diferente. Precisaremos da comunidade envolvida nesta causa”, comentou Anna Letícia.

O “start” da unidade de Sinop começa com a doação de uma área na região do Aeroporto, de propriedade de Vilson Vian. “Essa área será do tamanho que eles quiserem, no lugar que eles quiserem”, disse o empresário. Vian também sinalizou a primeira doação para construção da unidade, no valor de R$ 1 milhão. Embora generosa, a quantia representa apenas uma fração do que precisará ser arrecadado para viabilizar o projeto.

 

Como será essa unidade?

A conversa com os diretores do Hospital do Câncer de Barretos é para que Sinop tenha uma Unidade de Prevenção e Diagnóstico Precoce do Câncer. Existem 11 estruturas desse tipo espalhadas pelo Brasil. A mais recente é a de Campinas, inaugurada em julho desse ano, que vem sendo utilizada como parâmetro para o projeto de Sinop.

Segundo Anna Letícia, a unidade de Sinop será focada na prevenção do câncer através do diagnóstico precoce, especificamente do câncer de mama e de colo do útero. “O tratamento de um câncer de mama diagnosticado de forma precoce, custa em torno de R$ 10 mil, tem mais chances de cura e em 6 meses a mulher já está trabalhando, de volta a sua rotina. Enquanto que um câncer detectado em estágio avançado tem um tratamento mais longo, caro (R$ 150 mil), sofrido e com menos chances de cura”, explicou a médica.

Por isso o foco da unidade de Sinop será a diagnóstico precoce do câncer. Enquanto o protocolo do SUS para prevenção da doença estabelece a realização de mamografias para mulheres a partir dos 50 anos de idade, o Hospital de Barretos realiza os exames a partir dos 40 anos, o que aumenta as chances de um diagnóstico precoce.

A unidade de Sinop será focada na realização de tomografias e exames do colo do útero. Assim como funciona em Campinas e nas outras unidades volantes, os exames são digitalizados e avaliados por uma equipe médica do Hospital do Câncer em Barretos. Quando há necessidade, esses laudos são reavaliados por uma junta médica. A partir disso os pacientes são encaminhados para as unidades de tratamento, que pode ser no município, no Estado ou, dependendo da gravidade, direto para Barretos.

Além do prédio fixo, o projeto de Sinop prevê a operação de uma unidade móvel. Esse consultório, montado em uma carreta e equipado com um tomógrafo, irá percorrer os 34 municípios da região realizando exames. “É uma forma de chegar até a população que mais precisa”, explicou Anna.

O projeto completo da unidade de Sinop tem um custo estimado de R$ 24 milhões. Uma vez pronto, a estrutura demandará uma receita de R$ 300 mil por mês para operação. O Hospital do Câncer de Barretos, e suas unidades de diagnóstico, operam em parceria com o SUS, que subsidia parte dos procedimentos. O custo mensal da unidade é de R$ 23 milhões, sendo que aproximadamente R$ 14 milhões são repassados pelo SUS. O restante é oriundo de doações, leilões e colaboradores de todo país. No último final de semana, por exemplo, Sinop realizou a caminhada Passos que Salvam, uma ação que teve como objetivo arrecadar fundos para o Hospital de Barretos.

Uma parte importante da forma como o Hospital do Câncer atua é a sua exclusividade filantrópica. Tudo dentro da unidade é 100% gratuito para os pacientes. Não há um sistema “misto”, com atendimentos privados. Da mesma forma, o corpo clínico é contratado com dedicação exclusiva. Ou seja, os médicos que operam no Hospital do Câncer não trabalham em outro lugar, o que coíbe a prática de transferência de pacientes para outras unidades privadas.

O anúncio que será feito pelo comitê logo mais abre o processo de mobilização da sociedade para construção dessa unidade. Uma vez pronta, a estrutura será administrada pelo Hospital do Câncer de Barretos. “Esperamos que toda população desses 34 municípios do entorno de Sinop compreendam a importância desse projeto, que tem como único objetivo salvar vidas. Será preciso o esforço de todos para tirar essa ideia do papel”, comentou Vilson Vian.

Fundado em 1967, o Hospital do Câncer de Barretos é mantido pela Fundação Filantrópica Pio 12, qualificado como a maior instituição oncológica do país, com uma média de 4,1 mil atendimentos a pacientes por dia e mais de 400 médicos que trabalham em período integral. É também o hospital que mais atende casos de câncer pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no Brasil em 18 especialidades.

É uma instituição reconhecida no Brasil e no mundo como referência na atuação do campo da oncologia, com elevados padrões de qualidade e de humanização no atendimento. Ao lado do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), foi eleito em pesquisa popular o melhor hospital conveniado ao SUS do Estado de São Paulo, com 97,2% de aprovação em categorias como serviço, infraestrutura, limpeza e qualidade do atendimento.

Fonte: Jamerson Miléski