Boa tarde, Sábado 22 de Setembro de 2018
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Lions de Sinop recebe as chaves do Hospital da Visão

GC Notícias | 13/09/2018 11:02

A partir de agora, esforço é para equipar a estrutura

Após exatos 10 meses de obra, o Hospital da Visão de Sinop foi entregue para o Lions Clube. A solenidade foi realizada na manhã desta quinta-feira (13). A estrutura de 986,13 metros quadrados foi construída para dar suporte ao programa de cirurgias oftalmológicas desenvolvido pela entidade filantrópica.

Os recursos para construção do Hospital são oriundos da Usina Hidrelétrica de Sinop. Cerca de R$ 1,3 milhão foram dedicados do programa de mitigação dos impactos para subsidiar a obra, mais R$ 600 mil através de emendas impositivas da Câmara de Sinop. A UHE Sinop ainda fez a tomada de preço, contratação da construtora e fiscalização da obra. Quem executou a obra foi a Construtora Lindóia, de Sinop. “Através da parceria com a iniciativa privada conseguimos fazer uma obra de qualidade, dentro do custo previsto e do preço”, declarou o presidente da UHE Sinop, Jean-Christopher Delvallet.

As chaves foram entregues para a prefeita de Sinop, Rosana Martinelli, que apenas repassou para o presidente do Lions, Alfredo Garcia. O clube de serviço é quem vai fazer a gestão do Hospital da Visão.

Mas antes disso é preciso equipá-lo. Durante a inauguração, Alfredo discursou pedindo para que a Câmara destine recursos através de emendas impositivas para a compra dos equipamentos. De acordo com o presidente do Lions, serão necessários cerca de R$ 3 milhões para operacionalizar o Hospital. Quando pronto, terá capacidade para fazer 50 procedimentos cirúrgicos por dia. Atualmente, mais de 6 mil pessoas na região de Sinop aguardam por cirurgias oftalmológicas para poder voltar a enxergar.

Alfredo espera conseguir pelo menos R$ 1,5 milhão da Câmara de Sinop, seja através de emendas impositivas ou mesmo pelo repasse referente a sobra de caixa anual – que o legislativo tem obrigação de retornar para o executivo. O presidente do Lions disse que já possui uma emenda de R$ 750 mil do deputado federal Nilson Leitão e outra, no mesmo valor, do Governo do Estado.

O presidente da Câmara, Ademir Bortoli pediu para que Alfredo leve até os vereadores os orçamentos e estimativa de preços do custo dos equipamentos, para que assim a Câmara disponha os recursos. “Estamos a disposição”, afirmou Bortoli.

O Hospital conta duas 2 de cirurgias, 2 consultórios, 2 salas de repouso e uma ampla infraestrutura dentro das normas de saúde pública. Quando estiver operando, realizará procedimentos através do SUS, convênios com municípios e particulares. O Lions já conta com 3 médicos cirurgiões oftalmológicos na sua equipe.

 

Abrir e manter

Com o prédio pronto, o próximo objetivo do Lions é abrir. Alfredo acredita que dentro de 6 meses o Hospital já entre em operação. Feito isso, a missão do clube de serviço será garantir a perenidade dos atendimentos.

Manter um hospital que faz cirurgias para população carente via SUS não é exatamente algo fácil. O sistema único de saúde paga em média R$ 700,00 por procedimento. Para realizar uma cirurgia de olhos, na margem da filantropia, o custo não fica abaixo de R$ 1,5 mil. Ou seja, o Lions vai precisar correr atrás dessa diferença entre o que o SUS repassa e o que custa de fato o procedimento.

Se o Hospital operar com uma média de 500 cirurgias por mês, essa diferença que o clube terá que levantar será de R$ 400 mil. Alfredo aposta na realização de convênios com prefeituras da região para compor os valores e minimizar esse impacto. Ao seu favor, o Lions tem como argumento o fato que não existirá no Norte de Mato Grosso procedimentos para visão mais em conta do que em seu Hospital. “O Lions vai dar um jeito. Sempre dá”, descontraiu Alfredo.

O Hospital da Visão fica no Jardim Paraíso, ao lado do Hospital Santo Antônio.

Fonte: Jamerson Miléski