Bom dia, Sábado 22 de Setembro de 2018
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

O que são essas flores espalhadas por Sinop?

GC Notícias | 15/05/2018 15:19

Objetivo é chamar a atenção da sociedade para a violência sexual contra crianças

Há duas semanas começaram a aparecer placas, em formato de flores amarelas, em canteiros e espaços públicos da cidade de Sinop. A intervenção urbana faz parte da campanha de combate a violência sexual contra as crianças e adolescentes.

O símbolo escolhido faz parte de uma campanha nacional sobre o tema, intitulada “Faça Bonito, proteja nossas crianças e adolescentes”. Cidades de todo Brasil estão utilizando o mesmo símbolo para propagar a campanha. A flor de traços simples remete aos desenhos da primeira infância, além de associar a fragilidade de uma flor com a de uma criança. O desenho também tem como objetivo proporcionar maior proximidade e identificação junto à sociedade, proximidade e identificação com a causa.

Além das “flores da lata”, a secretaria de Assistência Social, em conjunto com a Secretaria de Educação, realizam na próxima sexta-feira (18), o Dia D no combate a violência sexual. Alunos do 4º e 5º anos das escolas da rede pública municipal serão reunidos na Praça da Catedral, quando será feita a exposição dos desenhos do concurso “Olhos que Falam 2018”.

O projeto “Olhos que Falam” iniciou nas escolas em fevereiro com palestras. Em abril os estudantes de 6 escolas municipais entregaram os desenhos para participarem do concurso. “O projeto busca alertar e conscientizar a sociedade, em geral, sobre a importância de estar atenta às diversas formas de abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes”, destacou a secretária de Assistência Social, Josi Palmasola.

 

Campanha Nacional

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera o abuso sexual como um fenômeno de maus tratos na infância e na adolescência. As crianças e os adolescentes, vítimas da violência, sentem medo, culpa e remorso porque quem pratica o abuso.

O Dia 18 DE MAIO é uma conquista que demarca a luta pelos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes no território brasileiro e que já alcançou nesses 16 anos muitos municípios do nosso país.

Esse dia foi escolhido porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o “Caso Araceli”. Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade, que teve todos os seus direitos humanos violados, foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade. O crime, apesar de sua natureza hedionda, até hoje está impune.

A proposta do “18 DE MAIO” é destacar a data para mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos sexuais de crianças e adolescentes. É preciso garantir a toda criança e adolescente o direito ao desenvolvimento de sua sexualidade de forma segura e protegida, livres do abuso e da exploração sexual.

Fonte: Redação com Assessoria