Boa tarde, Quarta Feira 14 de Novembro de 2018
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Pela 2ª vez, nenhuma empresa quis o asfalto do Recanto dos Pássaros

GC Notícias | 08/11/2018 10:20
Foto: GC Notícias

Licitação relançada com o mesmo valor não atraiu nenhuma empresa

A Secretaria estadual de Infraestrutura insistiu no valor e o resultado foi o mesmo. Nenhuma empresa se apresentou para disputar a licitação para contratação da pavimentação asfáltica no bairro Recanto dos Pássaros, em Sinop. Essa foi a segunda vez que o mesmo edital para contração da obra foi lançado. No primeiro, em setembro desse ano, nenhuma empresa declarou interesse. No processo realizado ontem, quarta-feira (7), mais uma vez a licitação deu deserta.

O que o Estado tenta contratar é a pavimentação asfáltica, drenagem de águas pluviais, sinalização viária e passeio público com acessibilidade na estrada Amélia (parcial), Rua dos Flamingos, Rua dos Sabiás e Rua dos Tucanos (parcial). São 8 mil metros quadrados de obra. Conforme o edital, o asfalto seria TSD (Tratamento Superficial Duplo), com emulsão RR-2C, um tipo de pavimentação de preço intermediário. Para tal, o Estado está disposto a pagar R$ 805 mil – exatamente R$ 100,00 por metro quadrado de obra.

De acordo com o engenheiro da prefeitura, especialistas em projetos de pavimentação no município, Ronaldo Silva, o preço aparentemente baixo não foi a razão do desinteresse das empresas nessa licitação. Ele revelou ao GC Notícias que foi o responsável pela elaboração desse projeto, encaminhando para Sinfra há dois anos. Ou seja, o Estado demorou 2 anos para licitar. Por isso, existe sim uma leve defasagem de preço nessa licitação, mas que poderia ser equilibrada com um realinhamento de preços durante a execução da obra.

O mais provável é que as empresas estejam evitando fazer negócios com o Estado para não perder dinheiro. Construtoras que encamparam obras de pavimentação em Sinop, como no Residencial Jardim do Ouro e também no Residencial Brasília, estão com dificuldades de receber do Estado.

Dos R$ 805 mil disponíveis para essa obra, R$ 740 mil são oriundos de um convênio com o Governo Federal.

Com a licitação deserta, não há qualquer perspectiva de quando a pavimentação vai começar.

Fonte: Jamerson Miléski