Boa tarde, Quarta Feira 20 de Março de 2019

Geral

Proerd forma 346 estudantes da rede pública municipal de Sinop

Estudantes passaram por dez semanas de formação

Educação | 12 de Dezembro de 2018 as 16h 04min
Fonte: Assessoria da Prefeitura de Sinop

Foto: Ademir Specht

Uma solenidade realizada na tarde dessa terça-feira, 11, no anfiteatro da Unemat, em Sinop, marcou a formatura de 346 estudantes da rede pública municipal no Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd). O grupo congrega educandos das unidades Sadao Watanabe, Lizamara e Ana Cristina de Sena e que durante dez semanas participaram das formações realizadas pela Polícia Militar em âmbito cidadania, moral, bons costumes, resistência pessoal, poder de decisão.

A Prefeitura de Sinop, por meio da Secretaria Municipal de Educação, Esporte e Cultura (S.M.E.E.C), é parceira da PM na realização do Proerd. O poder público fornece os subsídios necessários como livros para formação das crianças, camisetas e as escolas, onde se encontram as turmas de 5º ano alvos da ação. Já a instituição militar e seus instrutores ministram as aulas.

"É muito importante esta parceria da Prefeitura, a Secretaria Municipal de Educação, com a Polícia Militar porque traz para nossa escola a segurança, a orientação e a disciplina necessária para seguir regras. A polícia é uma grande parceira da secretaria e esperamos continuar, independentemente do projeto", destacou a secretária municipal de Educação, Veridiana Paganotti. Durante breve fala, a gestora ressaltou o trabalho conjunto com a Polícia Militar, agradecendo à corporação pela oferta de outros projetos e que também englobam estudantes da rede pública. Entre eles, o Luz do Amanhã, a Ronda Escolar.

Conforme explica o coordenador regional do Proerd, major PM Joubert Rafael Sacramento, o foco principal é atuar em âmbito prevenção, minimizando as chances e riscos de contato. "A PM, junto com o município, procura prevenir eles sobre os males que estas drogas causam. Sabemos que a prevenção é mais barata que a repreensão", enfatizou o militar.

Além da entrega de certificados para os cursistas, a PM também entregou bicicletas aos estudantes que se destacaram na escrita de uma redação sobre o programa. Entre as premiadas estava a estudante Isabele Gomes, de 10 anos, da escola Lizamara. Orgulhosa, ela não escondia a alegria ao receber o prêmio e ler seu texto para todos os colegas.

"A gente aprende a não ficar com drogas, a não fumar, ficar longe das pessoas que fazem isso. Gosto bastante do Proerd", contou Isabele.

Para a família da estudante, o Programa adquire um sentido especial, pois trabalha com temas sensíveis e reforça os ensinamentos e lições dos pais para com os filhos. "Ajuda eles no desenvolvimento, educação dentro de casa, com as pessoas na rua e a também dizerem não às drogas", comentou Lucineia Gomes de Amorin, mãe de Isabele.

Como destaca, ainda, a secretária municipal Veridiana Paganotti, são feedbacks das crianças e dos pais que confirmam o êxito do trabalho conjunto entre município e PM. A sensação, como descreve a gestora, é de gratidão. "Gratidão aos professores que cederam as aulas, aos policiais que se dispuseram a darem uma aula, a trabalharem uma disciplinas e aos alunos que também estudaram, aprenderam e com certeza colocarão em prática tudo o que aprenderam", pontuou Paganotti.

Nascido ainda no ano de 1983 nos Estados Unidos, com outra nominação, o Proerd foi criado por duas pedagogas. Atuando em nível mundial, o programa já foi aplicado em mais de 55 países, entre os quais o Brasil, onde chegou em 1992 no Estado do Rio de Janeiro. Desde 2002 o Programa é aplicado em todos os Estados da federação e mais o Distrito Federal. Em Mato Grosso, onde chegou em 2000, as primeiras cidades a recebê-lo foram Cuiabá e Várzea Grande.

Em Sinop o Proerd começou a ser executado em 2001 e, desde então, já formou mais de 25 mil estudantes. "A gente vê as mudanças significativas na vida das crianças", reforçou o instrutor proerdiano sub-tenente PM Altemar Souza. Como salientou o formador, mais que receber os ensinamentos do programa, as crianças também precisam do olhar familiar para se evitar as armadilhas do mundo das drogas. "Essa participação dos adultos na vida dos filhos, interagindo, é o que vai somando", salientou.

Para os professores da rede pública municipal, as aulas do Proerd vão ao encontro das necessidades que as crianças têm. “Com estas aulas vão criar uma barreira, um ensinamento que será para o resto da vida e que o farão pensar duas, três vezes, antes de dizerem sim às drogas”, destacou a avaliadora.

COMENTARIOS