Bom dia, Segunda Feira 19 de Novembro de 2018
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Saiba identificar os sinais de alerta de pessoas propensas ao suicídio

GC Notícias | 11/09/2018 16:37

Casos recentes registrados no município reascendem a preocupação em torno dessa condição

Todos os dias, pelo menos uma pessoa com tendência suicida procura ajuda no CAPS (Centro de Atenção Psicossocial), de Sinop. O Centro atende pessoas com transtornos mentais graves, como bipolaridade, esquizofrenia, suicídio, depressão grave, ansiedade generalizada e psicose.  A equipe contém pessoas especializadas para o atendimento, como, psicólogo, psicopedagogo, psiquiatra, e enfermeira.

De acordo com a coordenadora e psicóloga da instituição, Amanda Machado Maciel, a família da vítima precisa identificar os sintomas e procurar ajuda, seja ela especializada, ou não. Para identificar alguns sinais de pessoas propensas ao suicídio, a família deve ter total atenção. Em geral, as pessoas nessa condição procuram se auto prejudicar. Pode ser desde um comportamento imprudente, ou mesmo falar com frequência sobre a morte, até ferir fisicamente seu corpo. Frases ditas do tipo, “eu preferia estar morto”, “eu sou um peso para outras pessoas”, “e se eu dormisse para sempre?”, “eu queria sumir”, são os principais sinais.

A psicóloga alerta, jamais desafie uma pessoa que está pensando em tirar sua própria vida. “Automaticamente quando a vítima é desafiada, a pessoa está dando à ela coragem para cometer o ato”, revela.

O motivo de um comportamento intencional de tirar a própria vida é resultado da soma de diversos fatores de origem emocional, psíquica, social e cultural. O indivíduo busca na morte o alívio. Decepções amorosas, problemas familiares ou financeiros, depressão, transtornos de personalidade e abuso de substâncias químicas são alguns dos fatores.

O suicida, muitas vezes, tem desejo de vingança. Ele encontra na morte uma forma de punir pessoas próximas, para que sintam culpadas e tristes. Tais desejos são relatados em cartas de despedidas, mensagens nas redes sociais, mas que os familiares só perceberam a intenção de suicídio depois do fato.

Ao presenciar qualquer um desses sinais, os familiares podem conduzir a pessoa propensa ao suicídio diretamente ao CAPS. Também é possível procurar atendimento médico na rede pública, relatando a situação e pedindo um encaminhamento para o Centro Especializado. A instituição oferece um atendimento gratuito através do número 188.

 

Fonte: Geovanna Klaus