Bom dia, Sexta Feira 24 de Novembro de 2017
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Articulando com a saúde

GC Notícias | 02/05/2017 16:56

A prefeita de Sinop, Rosana Martinelli (PR), ainda não definiu quem será seu próximo secretário de saúde. Nos bastidores, o que se comenta é que a prefeita vai aproveitar o momento para melhorar a sua saúde política.

A manobra esperada, que ainda não está confirmada, é promover a funcionária da secretaria da Saúde, que convenientemente ocupa uma das cadeiras do PMDB na Câmara, Maria José, à secretária adjunta de saúde. Dessa forma, por força do regimento interno, Maria José se licenciaria do cargo na Câmara, deixando sua vaga para o primeiro suplente.

O primeiro suplente, nesse caso, é Mauro Garcia (PMDB), ex-presidente da Câmara na legislatura passada, que não conseguiu se reeleger e foi “encaixado” pelo grupo na secretaria municipal de Trânsito. O regresso de Garcia à Câmara é estratégico. Com a cancha e experiência que possui, o ex-presidente seria um importante pilar de sustentação da prefeita na casa de leis. Algo que Rosana precisa.

A prefeita tem encontrado problemas com os nomes fortes do seu grupo político. Fernando Brandão (PR), não vive um momento muito favorável ao enfrentamento. Ele é investigado pela corregedoria da Câmara pelas denúncias de “Mensalinho”. O corregedor é do PSDB e um dos 3 membros da comissão que o investiga também. Brandão não é um bom escudo para Rosana no momento. Hedvaldo Costa (PR), outro vereador experiente, não anda exatamente “alinhado” com o grupo da prefeita, resquício da negociação feita para eleição da atual mesa diretora. Billy Dal’Bosco (PR), está como primeiro secretário. Tony Lenom (PMDB), não tem aliviado para Rosana nem mesmo no programa de televisão que apresenta, comprando brigas como a recente questão dos comércios ambulantes. Sobra Lindomar Guida (PMDB), Joaninha (PMDB), Maria José e Professora Branca (PR), que é a sua atual líder na Câmara.

Aliás, uma líder de liderança questionável. Vereadora de primeiro mandato, Branca tem o respeito dos demais membros do legislativo, mas pouca ou quase nenhuma influência. Comparado ao traquejo e experiência de Mauro Garcia, a “mestre” é aluna primária. Promovendo Maria José para saúde, Rosana coloca Mauro de volta no legislativo, que já sentaria na cadeira com status de líder. Seria uma aspirina para as dores de cabeça de Rosana.