Boa tarde, Sexta Feira 19 de Outubro de 2018
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Bora enrolar

GC Notícias | 24/09/2018 09:44

Tentando minimizar a aguda rejeição que tem em Sinop, o governador do Estado e candidato a reeleição, Pedro Taques (PSDB), lançou um vídeo da sua campanha dirigido a maior cidade do Norte de Mato Grosso. O VT de um minuto começa com um “booooora Sinop!”, no melhor estilo Pedro Taques de tentar fazer bordões populistas. Os que se segue são tentativas de mostrar o que a atual gestão proveu por Sinop. E esse é o problema.

Taques começa falando da recuperação do asfalto entre Sinop, Cláudia e Santa Carmem – algo na casa de 100 km de estrada. É pouco? Sim, mas isso pelo menos foi de Taques. O resto do que ele disse ter feito, não lhe pertence.

O menos grave foi o Ganha Tempo, uma estrutura que de fato é genuína do governo Taques. No entanto, trata-se de uma concessão com a iniciativa privada, em que o Estado terceiriza a cobrança de impostos, algo que ele próprio deveria fazer.

Depois, Taques cita a ponte do Rio Teles Pires. Ele não especifica qual, se foi a da MT-222 construída em 2008 ou a da MT-220, que foi alteada pela Usina Hidrelétrica este ano. Seja qual for, não há dinheiro do Estado ali.

Taques também fala no vídeo de rede de esgoto em Sinop. Qual? O sistema de esgoto em Sinop é terceirizado pela Águas de Sinop e gerido pelo município. O governador também toma para si as emendas dos deputados estaduais para dizer que fez asfalto e sinalização em “vários” bairros da cidade. “Vários” quais, governador?

A Escola Zeni Vieira não ficou fora da lista. Nem poderia. Afinal, essa escola Taques inaugurou duas vezes, uma em 2016 e outra nesse ano, às vésperas da campanha. Cabe ao GC Notícias lembrar que essa escola foi criada em 2011, mediante um convênio com o Ministério da Educação. Taques até concluiu a obra, é verdade, mas o processo já estava pronto quando ele sentou na cadeira. Aliás, nesse mesmo pacote estava duas outras escolas: no Jardim das Nações (E.E Cleufa Hubner) e no Jardim das Orquídeas. Estas, ele sequer deu conta de tocar o processo e concluir.

Por fim, mas não menos importante, Taques utilizou toda essência de óleo de peroba que tinha guardado para campanha para dizer – pasmem – que aumentou 20 leitos no Hospital Regional de Sinop. De fato, em maio de 2018 Taques anunciou um aditivo de mais 20 leitos no Hospital. O que ele não disse é que antes disso seu governo reduziu quase pela metade o número de leitos e que, mesmo hoje, a unidade opera com apenas uma parte da sua capacidade. O Hospital Regional de Sinop foi projetado para comportar 120 leitos. Chegou a ter 91 leitos instalados no período da intervenção, antes de Taques virar governador. Quando seu governo trocou a Fundação Santo Antônio pelo Instituto Gerir, o Estado encolheu o contrato para 55 leitos. Apenas 6 meses depois o contrato foi revisto e ampliado para 75 leitos, que é o que o Regional atende atualmente.

Taques falou tanto em 2014 que seria diferente, que era uma inovação na política e que nenhum mato-grossense ficaria para trás. Hoje, o que ele faz é tomar as ações políticas dos outros para tentar reverter sua impopularidade. Mente ou diz meias verdades, publicamente em horário eleitoral. Taques diz “Boooora Sinop”. Talvez, se a cidade pudesse responder, diria: pegue sua caravana e vá embooooora Taques.