Bom dia, Terça Feira 07 de Julho de 2020

Notícias dos Poderes

Contra flatos não há argumentos

| 16 de Junho de 2020 as 09h 54min

O isolamento social – para prevenção da pandemia – forçou o Tribunal de Justiça de Mato Grosso e outras instituições públicas a trabalhar de forma remota. Ao conduzir os trabalhos da vida pública no conforto da privada, o decoro acabou sendo afrouxado.

O fato curioso que tomou repercussão nacional em páginas de humor, ocorreu na sessão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), da primeira quinta-feira de junho.

Durante a sessão, dois ruidosos estrondos cortaram a fala do advogado Bruno Boaventura. Apesar de ser interrompido sem questão de ordem, o advogado conseguiu manter a concentração e prosseguir.

Mais adiante, o autor do alerta sonoro assumiu a autoria. O procurador de Justiça do Ministério Público de Mato Grosso, Paulo Prado, pediu licença para se desculpar. “Teve dois momentos em que me descuidei com o microfone. Se, por acaso, fui deselegante ou causei mal estar, queiram me perdoar, por favor”, disse Prado.

Márcio Vidal minimizou a situação dizendo que todos são seres humanos e pediu maior atenção com os microfones.

Acompanhe o vídeo.