Boa noite, Quarta Feira 13 de Dezembro de 2017
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Crise no ninho tucano

GC Notícias | 17/11/2017 15:51

O PSDB de Sinop parece estar em processo de divórcio com sua principal liderança no Estado. Na manhã desta sexta-feira (17), lideranças tucanas do município acordaram menos apaixonadas por Pedro Taques (PSDB). O motivo da discórdia foi o colapso completo do Hospital Regional de Sinop, constatado pelo pedido de rescisão do contrato de gestão da unidade, apresentado pela Fundação Santo Antônio. Imaginem o quão ruim é ser parceiro do Governo do Estado, a ponto de uma entidade sem fins lucrativos abandonar um contrato de R$ 4,8 milhões por mês. Mesmo a Fundação, que foi criada para fazer caridade, não aguentou trabalhar com Taques.

O ato fere a imagem do governador, que em um momento de empolgação, chegou a dizer que cada morte na saúde seria de sua responsabilidade. Foi um golpe duro, sentido até por aqueles que acompanham Taques desde o começo e que depositaram nele a fé para remendar os estragos feitos por Silval Barbosa. Um ex-presidente do PSDB de Sinop chegou a comentar que ao invés da Fundação devolver a gestão do Hospital para o Estado, o ideal seria Taques devolver a administração de Mato Grosso.

Na noite de quinta-feira, o deputado federal, Nilson Leitão (PSDB), antecipou o comportamento a ser adotado pelo PSDB de Sinop frente ao abandono do Hospital. Dentro da unidade, Leitão falou aos funcionários antecipando o rompimento do contrato, criticando Taques e incentivando que cada um ingresse com ações trabalhistas para receber do Estado. É difícil explicar exatamente o porque Leitão estava lá e falando disso. Talvez tenha sido peso na consciência.

O fato é que na terça-feira (14), o presidente do PSDB no Estado, Paulo Borges, que é de Cuiabá, disse que o partido já cogita abrir mão da candidatura de Leitão ao Senado. A vaga seria utilizada como barganha para montar um grupo mais forte e um projeto mais efetivo para reeleger Taques. Talvez Leitão não tenha concordado com essa prioridade e dado início ao seu projeto solo.

Há cerca de 2 meses, quando as mobilizações em prol do Hospital iniciaram, questionamos nesse espaço se Leitão ficaria ao lado da Fundação que sempre defendeu ou do Governador. O deputado parece ter tomado sua posição.