Boa tarde, Quinta Feira 16 de Agosto de 2018
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Dinheiro jorrando

GC Notícias | 30/01/2018 18:26

O discurso de falência do Estado e estrangulamento dos gastos, que verte da boca do presidente da República, Michel Temer, em nada conversa com algumas atitudes do governo federal. Esta semana, a ANA (Agência Nacional das Águas), começou a publicar algumas das compras que fará para promover o 8º Fórum Mundial da Água, que será realizado em Brasília, no mês de março. Uma dessas compras (Processo nº: 02501.002975/2017-11) refere-se a parte da infraestrutura que será montada no evento: tendas, calhas, escadas, etc. Com isso, o governo federal irá gastar R$ 4,7 milhões.

A empresa que irá fornecer as tendas é a Premier Eventos Ltda, do Estado do Paraná. É a mesma empresa que promoveu o evento da posse da presidente Dilma Roussef (PT), em 2015. Agora, o mesmo CNPJ pega mais uma gorda conta do poder público.

Fórum Mundial, embora trate de uma temática vital para o ser humano é, em essência, um aglomerado de conversa, que pode ou não nortear políticas públicas. Esses instrumentos são fundamentais para o modelo de democracia ideal, mas a conta é muito desproporcional do que a nossa democracia pode pagar.

Fatos assim ajudam a explicar porque apesar de uma arrecadação monstruosa o país parece nunca ter dinheiro para fazer o que de fato precisa. Enquanto a maior parte do Brasil perece sem saneamento básico descente, um grupo de “pensadores” irá discutir sobre o futuro da água no planeta, confortavelmente instalados sob tendas que custaram R$ 4,7 milhões.

O pior é saber que R$ 4,7 milhões, no atual contexto, é dinheiro pequeno, insuficiente sequer para chamar a atenção da imprensa nacional. Grana de impostos, despejada ao bel prazer de uma casta que vive de conversa, e para o lucro de quem faz festa para o poder público.