Bom dia, Terça Feira 07 de Julho de 2020

Notícias dos Poderes

Fiscal de Facebook

| 28 de Maio de 2020 as 09h 43min

Além de fiscalizar a gestão pública do município, alguns vereadores de Sinop se autoconferiram uma nova atribuição: “fiscal de rede social”.

Na última sessão, o vereador Ícaro Severo (PSL), se apegou às postagens feitas pelo procurador geral do município, o advogado Ivan Schneider, em sua rede social particular que dizia. Ivan postou no Facebook e Ícaro leu em tribuna: “Se o mesmo empenho que as Câmaras Municipais dedicam à politicagem, fossem concentrados em pressionar o Governo do Estado a ampliar a rede de UTIs... Boa parte das angústias da população (que quer prevenção) e do comércio (que precisa manter-se ativo) estaria resolvida”.

A postagem do procurador é tão desnecessária que sequer precisaria ser feita. Quanto mais comentada na tribuna. O governo do Estado está ampliando as UTI’s com ou sem pressão. Aumentar a estrutura hospitalar não pode servir como carta de alforria para escancarar as portas do comércio em plena pandemia. Ao invés de acionar os deputados estaduais, o advogado da prefeita se foca nos miúdos vereadores, generalizando para se esquivar e não comprar desafeto direto com a Câmara local. Enfim, falta lógica, peito e inteligência na postagem.

Mesmo assim, a postagem inócua virou notícia. Culpa do vereador Ícaro, que ao ler o Facebook do advogado da prefeitura, desencadeou uma reação que resultou na intimação de Ivan para se explicar, na tribuna da Câmara.

O vereador Billy Dal Bosco (DEM) endossou o embate e também aproveitou o grande expediente para comentar a postagem. “O senhor se coloque no seu lugar e não nos meça com a sua régua”.

O terceiro a entrar no coro dos ofendidos e ainda mais detalhista foi Adenilson Rocha (PSDB). O tucano não apenas se prestou a comentar a postagem como também investiu seu tempo de parlamentar para acessar a rede social e observar quem curtiu e comentou a postagem do procurador e foi além: exigiu que o presidente da Câmara convocasse o procurador para prestar esclarecimentos. “Convoque esse procurador geral do município. Se ele acha que não tem ninguém pra peitar ele eu estou aqui”, bradou.

Desde a última eleição presidencial, os políticos aprenderam a se preocupar bastante com as redes sociais.