Boa tarde, Quarta Feira 14 de Novembro de 2018
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Na onda do Mito

GC Notícias | 31/10/2018 10:15

Jair Bolsonaro foi um fenômeno em Sinop. O candidato a presidente da República obteve no município 77,3% dos votos válidos no segundo turno. Ou seja, a cada 4 eleitores, 3 votaram no “Mito”.

A onda Bolsonaro pegou Sinop. Durante o período eleitoral era quase impossível andar na rua sem topar com um adesivo do candidato. Tinha até ambulante na Avenida dos Tarumãs vendendo camiseta com o rosto de Jair estampado. Rico, pobre, instruído ou escolado. Tem seguidor do “Mito” de toda matiz em Sinop. Bolsonaro “fisgou” o eleitorado local.

A inclinação do sinopense ao presidente eleito não acabará amanhã. Essa onda Bolsonaro ficará viva e pode inclusive crescer até 2020, de acordo com o desempenho do presidente. E como tal, não faltará gente para tentar pegar esse embalo.

Em Sinop, ao longo do primeiro turno, nenhuma liderança política expressiva “colou” em Bolsonaro. Nilson Leitão preferiu outro caminho. Juarez Costa também não entrou no assunto. A prefeita Rosana Martinelli seguiu neutra, com uma suave inclinação. Os candidatos a deputado estadual, idem. Aqueles eventualmente cotados como candidatos a prefeito de Sinop, como Roberto Dorner, externaram apoio a candidatura do Mito. Mas foi só. Quem mais se mexeu em prol do 17 foi o ex-deputado estadual, Dilceu Dal’Bosco, e ainda assim bem na reta final.

Na Câmara de vereadores de Sinop, na véspera do segundo turno, todo mundo era Bolsonaro. Na segunda-feira pós resultado da eleição, no entanto, seu principal apoiador foi Hedvaldo Costa (PR). O vereador fez um discurso entusiasmado, depositando fé, esperança e certeza de que o Brasil inaugura um novo momento com Bolsonaro. Hedvaldo atraiu para si parte dos discursos de Bolsonaro. Especificamente a parte sobre “Deus”. Acabou sendo aplaudido, afinal, ninguém vaia Deus e, nesse momento em Sinop, nem Bolsonaro.

Rosana não goza da maior popularidade como prefeita. Na última eleição, dos 15 vereadores, apenas 3 foram reeleitos. Leitão, uma das lideranças políticas mais expressivas de Sinop, perdeu a eleição. Dos 3 deputados estaduais que a cidade tinha, salvou-se Dilmar Dal’Bosco. Ou seja, o cenário político para 2020 está completamente aberto. Não há favorito. Sai na frente aquele que tiver o discurso mais parecido de Bolsonaro.

Fique atento eleitor. A política precisa ser um jogo de ideias não de marketing.