Bom dia, Quinta Feira 15 de Novembro de 2018
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Nobre demais para se ligar

GC Notícias | 12/09/2018 15:28

A vereadora de Sinop, professora Branca (PR), antes de ingressar na política, gastou boas horas ensinando química para alunos do ensino médio. Certamente lecionou sobre ligações iônicas e covalentes, que, de forma simplificada, são as junções de diferentes átomos para formar moléculas e tudo mais que existe em nosso planeta. Nós, seres vivos, somos basicamente feitos de Carbono, um dos elementos químicos que mais fazem ligações com outros átomos. Branca deve ter ensinado muitos alunos que, dos 118 elementos descritos na tabela periódica, apenas 7 não se ligam a outros átomos. São os chamados Gases Nobres. No fundo da sala, os alunos mais espirituosos se referiam a esses gases como “peido dos reis”.

Na política, Branca se comporta como um gás nobre. Isolada, não se liga a ninguém. Com suas 3 graduações acadêmicas (ela é formada em Ciências Físicas e Biológicas, Ciências Contábeis e Matemática), se coloca como superior aos seus pares menos escolados. Foi líder da prefeita Rosana Martinelli na Câmara, mas perdeu o posto justamente por não ter habilidade de dialogar e convencer.

O ápice da “nobreza” da vereadora Professora Branca foi na sessão desta segunda-feira (10). Durante a votação do projeto de lei que reduzia o número de vagas no funcionalismo público, Branca não se ligou a ninguém. Não deu a mão para o executivo municipal, que tentava tomar uma dura medida para administrar o inchaço da folha, não se alinhou com os colegas do seu grupo político que tiveram que arcar sozinhos com a medida impopular e também não ficou do lado dos servidores públicos (do qual ela faz parte), que pediam a reprovação do projeto.

Branca simplesmente se absteve de votar. Tomou essa posição achando que, desta forma, ficaria de bem com os servidores, com seu grupo político e com a prefeita. Achou errado! Ao ficar em cima do muro, Branca foi vaiada pelos servidores que acompanhavam a sessão. Seus companheiros viram na falta de posição de Branca, covardia. Para o executivo, Branca não fez diferença, já que mesmo sem ela a medida foi aprovada.

Sua posição como vereadora hoje, nem fede, nem cheira. Nem lá, nem cá. A política não funciona dessa forma. É preciso ter uma posição e buscar com os demais o convencimento, inclusive, de quem se opõem. A política é a arte do acordo e como tal, se faz em grupo.

Em 2014 a ciência demonstrou que a compreensão sobre os gases nobres estava errada. Até mesmo os mais equilibrados elementos da natureza faziam ligações. Quem sabe em breve a antiga professora de química atualize essa informação e perceba, de quebra, que na política um isolado em cima do muro tem pouca serventia.