Boa tarde, Segunda Feira 23 de Outubro de 2017
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Menino de 10 anos que era agredido pelo pai é resgatado em MT

GC Notícias | 03/08/2017 15:11
Hematomas provocados pelo pai da criança
(Foto: Polícia Civil/Divulgação)
Hematomas provocados pelo pai da criança

Criança foi encontrada com hematomas espalhados pelo corpo

Um menino de 10 anos que era agredido pelo pai foi resgatado pela Polícia Civil em uma comunidade rural no Distrito de Mimoso, no município de Santo Antônio de Leverger, a 511 km de Sinop. O menino foi encontrado com hematomas pelo corpo. A vítima passou por exames de corpo de delito e foi ouvida por uma equipe multidisciplinar da Polícia Civil. O pai fugiu quando foi abordado pelos policiais e ainda não foi localizado. A mãe foi ouvida e, segundo a Polícia Civil, ela alegou que o marido abusava na educação do filho.

A ação de resgate contou com a participação da Delegacia Especializada de Defesa da Criança e do Adolescente (Deddica) de Cuiabá e do Conselho Tutelar.

O resgate ocorreu após uma denúncia anônima de que a criança era agredida pelo pai. Em diligências, a polícia encontrou o menino, que mora na comunidade de Chimbuva, com hematomas nas pernas, braços, costas e barriga.

No local, a mãe afirmou aos policiais que as marcas pelo corpo da criança são resultantes da repressão e excesso na educação do filho por parte do marido.

Segundo a polícia, o pai do menino fugiu ao avistar os policiais e ainda não foi encontrado. O advogado dele procurou a delegacia e afirmou que o cliente deve se apresentar. Até o momento, entretanto, não o fez.

Segundo resgate

Ao ser ouvido, o menino contou à polícia que outros dois meios-irmãos também eram agredidos pelo pai – padrasto das crianças, no local onde moravam. Em uma segunda diligência, na terça-feira (1º), os policiais encontraram as crianças de 7 e 10 anos na comunidade também com hematomas pelo corpo.

Eles também foram levados para a delegacia, onde passaram por exame de corpo de delito e foram ouvidos.

Segundo a Polícia Civil, todos as crianças estão sob o cuidado da mãe e vigilância do Conselho Tutelar.

Fonte: G1 MT