Boa tarde, Quarta Feira 14 de Novembro de 2018
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Ministério Público denuncia Policial por matar a tiros colega de farda

GC Notícias | 01/11/2018 09:11

Além da farda, policias tinham em comum um relacionamento com a mesma mulher

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da 13ª Promotoria de Justiça Criminal, denunciou por homicídio simples o soldado PM Ivanilto da Silva Bezerra Filho, que matou a tiros, no dia 21 de março de 2018, o sargento PM José Carlos Camelo, no bairro Jardim Marajoara, em Várzea Grande.

De acordo com a denúncia, a vítima era namorada de Rayane Stefany Souza Martins, com quem manteve um relacionamento amoroso por dois meses, em 2016. Com o término do namoro Rayane passou a relacionar-se com o soldado Ivanilto.

“No dia 23 de março de 2018, por volta das 23 horas, o denunciado soldado Ivanilto encontrava-se na residência de Rayane quando, de repente, apareceu a vítima PM José Carlos que passou a chamar por Rayane, pedindo que deixasse ingressar na casa. Assustada com o comportamento da vítima, Rayane não respondeu aos seus chamados, porém, o ofendido pulou o portão e tentou arrombar a porta dos fundos, para ingressar ao interior da casa”.

A vítima, porém, após forçar a porta e quebrar um pedaço, foi surpreendida por quatro tiros, disparados pelo soldado Ivanilto, que logo após matar o colega de farda fugiu do local. “A vítima, embora estivesse armada, não estava utilizando a arma, posto que estava acondicionada em sua cintura, quando foi alvejada por 4 tiros, disparos de arma de fogo, a curta distância, dado a presença de lesões características de defesa encontrada em ambas as mãos, que demonstram que o ofendido colocou as mãos para frente na tentativa de se defender da ofensiva realizada pelo denunciado, sendo que, inclusive, um dos disparos efetuados pelo denunciado, a vítima foi atingida pelas costas”, diz na denúncia o promotor de Justiça Allan Sidney do Ó Souza.

Após assassinar o sargento, o PM Ivanilto praticou outro homicídio no dia 29/09/2018, na cidade de Jaru, em Rondônia, onde encontra-se preso. Com relação a este crime o Ministério Público de Rondônia também denunciou o PM. “Lá, em um clube social, utilizando-se de arma de fogo, ele matou Naor da Silva por motivo fútil vez que ocorreu em razão de a vítima ter flertado com uma mulher que estava na festa, o que causou ciúmes do indiciado”, diz a denúncia realizada pela promotoria de Rondônia, onde ele também foi denunciado por porte ilegal de arma de fogo.

Fonte: Redação