Boa tarde, Domingo 05 de Abril de 2020

Política

Eleição ao Senado em MT volta a “estaca zero”

Nenhum registro de candidatura havia sido emitido

Eleição suplementar | 18 de Março de 2020 as 14h 30min
Fonte: Redação

Foto: Assessoria

Em uma coletiva virtual, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso, desembargador Gilberto Giraldelli, disse, nessa quarta-feira (18), que a eleição suplementar que seria realizada no dia 26 de abril volta à estaca zero. “Não existem candidatos, são todos pré-candidatos, já que nenhum dos que se lançaram obtiveram o registro”, destacou.

De acordo com o presidente da corte eleitoral, estão previstas três novas datas para que a eleição suplementar seja realizada. Uma seria em maio, outra em junho ou, em outubro, junto com as eleições municipais.

Giraldelli afirmou ainda que todos os prazos devem ser redefinidos assim que a presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, anunciar a nova data para a eleição para o cargo de senador em Mato Grosso.

Ainda segundo ele, dependendo do novo calendário eleitoral, as coligações também poderão ser revistas. Inclusive, caso a eleição complementar seja realizada junto com as eleições municipais, os pré-candidatos podem desistir da vaga ao Senado para se candidatar às prefeituras.

Todos os servidores que pediram afastamento dos cargos em razão da eleição suplementar devem retornar às atividades. Somente com o estabelecimento do novo calendário é que precisarão, novamente, se afastar.

Giraldelli explicou que sendo estabelecido novo calendário eleitoral, é possível que os prazos para cadastramento biométrico e transferência de títulos, que já haviam se encerrados, sejam revistos.

A situação da vaga no Senado está sob judice e a decisão será do STF. Não há confirmação de que o terceiro colocado Carlos Fávaro assuma a vaga até a realização de eleição.