Boa noite, Terça Feira 25 de Setembro de 2018
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Ibope aponta que 51% da população não conhece esquema dos grampos

GC Notícias | 20/12/2017 10:46

Levantamento aponta que 35% dos entrevistados não levarão caso em consideração ao decidir

Um dos escândalos recentes do Estado parece ter passado desapercebido para a população mato-grossense. Segundo a pesquisa do Ibope, divulgada na última semana, 51% dos moradores do estado não tomaram conhecimento do caso dos grampos telefônicos ilegais, que ficou conhecido como “Grampolândia Pantaneira”.

A pesquisa apontou que, para 35% dos entrevistados, o caso não vai influenciar na escolha dos candidatos para as eleições de 2018. Outros 32% afirmam que a "Grampolândia" vai influenciar com certeza na hora de votar em outubro do ano que vem. Para 15% dos ouvidos pelo Ibope, os grampos telefônicos ilegais talvez influenciem na eleição.

O Ibope também questionou o conhecimento da população sobre o caso. Mais da metade da população (51%) não tomou conhecimento do caso, que envolveu a alta cúpula da Segurança Pública do Governo do Estado, na gestão do governador Pedro Taques. Outros 41% dos entrevistados, segundo o instituto, tomaram conhecimento.

A Grampolândia Pantaneira foi um esquema de escutas ilegais realizadas pela cúpula da Segurança Pública do Governo do Estado, durante a gestão do governador Pedro Taques. A Operação prendeu várias pessoas envolvidas no esquema, entre elas os ex-secretários da Casa Civil, Paulo Taques, da Casa Militar, Evandro Lesco, de Segurança Pública, Rogers Jarbas e de Justiça e Direitos Humanos, Airton Benedito Siqueira Junior.

O Ibope entrevistou 812 pessoas em todo o Mato Grosso. Deste total, 196 foram ouvidos na capital e outros 140 na região sudoeste do estado. A pesquisa também falou com 154 moradores da região norte e com 322 da região sudeste.

Foram ouvidos moradores de 30 cidades de Mato Grosso, entre os dias 2 e 8 de dezembro. O nível de confiança da pesquisa é de 95% e a margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Fonte: Folhamax