Bom dia, Terça Feira 14 de Agosto de 2018
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Janaína Riva cobra do Supremo agilidade com delação de Alan Malouf

GC Notícias | 23/05/2018 10:50

Deputada quer que empresário abra a caixa-preta antes da eleição

A deputada estadual Janaína Riva (MDB) encaminhou ofício ao Supremo Tribunal Federal (STF) cobrando agilidade quanto ao pedido de delação premiada oferecida pela defesa do empresário Alan Malouf. O documento é endereçado ao ministro Luis Roberto Barroso, sob a justificativa de que as implicações do que foi oferecido à Justiça podem influenciar no processo eleitoral deste ano.

“Nós queremos isso antes da eleição para mostrar o quanto esse governador roubou do nosso Estado, para o Alan Malouf mostrar o quanto de caixa 2 esse governador usou para vencer as eleições, e que o dinheiro não saiu só da educação”, discursou Janaína, em sessão ordinária da Assembleia desta terça-feira (22).

No ofício, Janaína sustenta que Malouf teria revelado pelo menos 12 fatos ligados a cobranças e recebimento de propina que teriam começado ainda no governo de Silval Barbosa e continuado sob a gestão atual, com o aval do secretariado.

“Alan Malouf já havia confessado ao Ministério Público do Estado de Mato Grosso sua participação no esquema de corrupção ocorrido na referida Secretaria, no qual confessou que cobrava propina para quitar dívidas ‘não declaradas’ de 10 milhões da campanha de 2014 do atual governador. Ocorre que essa delação tem o potencial para influenciar decisivamente as eleições vindouras e pode representar a última chance de o povo mato-grossense lutar contra o uso da máquina pública com vistas à reeleição de um gestor que levou um estado próspero aos níveis da bancarrota”, argumenta no documento.

 

Grampolândia

Além do ofício encaminhado ao STF, Janaína também cobrou, na condição de vítima, agilidade do Superior Tribunal de Justiça (STJ) na continuidade das investigações sobre o esquema de grampos ilegais operados por um núcleo da Polícia Militar de Mato Grosso. O caso vinha sendo conduzido pelo desembargador Orlando Perri e pela Polícia Civil, mas “subiu” para o STJ a pedido do governador Pedro Taques (PSDB) e parou nas mãos do ministro Mauro Campbell Marques.

“Quanto aos grampos, ministro Mauro Campbell, eu estou enviando ofício dizendo a ele que já se passou um ano. Eu, como vítima, e outros que foram vítimas no nosso estado, nós queremos que aqueles que grampearam Mato Grosso inteiro sejam punidos. Aqueles que tiraram dinheiro da Segurança Pública do Estado para ficar bisbilhotando a vida alheia, usando isso na política, perseguindo as pessoas na sua vida privada, que esses canalhas, calhordas, paguem por isso. É só isso que nós queremos, e nada mais”, finalizou.

Fonte: Olhar Direto