Bom dia, Terça Feira 17 de Outubro de 2017
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Ministério da Agricultura busca mercados na China e Irã

GC Notícias | 08/09/2017 18:06

Maggi e Novacki se revezam nas missões internacionais para “vender” a produção brasileira

Para sair de quase 7% para 10% da participação brasileira no mercado mundial em 5 anos, é necessário colocar a "mochila nas costas" e visitar os países, mostrando como se produz no Brasil: com eficiência, sustentabilidade e responsabilidade social. É o que tem afirmado o ministro da agricultura Blairo Maggi. Ele e o secretário executivo da pasta, Eumar Novacki, têm intercalado na liderança de missões internacionais para vários lugares do mundo.

O ministro Blairo Maggi retornou na última quarta feira da China e nesta sexta feira, o secretário Eumar Novacki segue com delegação oficial do mistério da agricultura para o Irã, importante parceiro comercial do Brasil e com grande potencial de crescimento.

Com mais de 80 milhões de habitantes, o Irã é grande comprador de milho, soja e carne bovina, e a expectativa desses setores, é que haja ampliação da participação do Brasil no mercado Iraniano.

O otimismo é tamanho, que essa viagem contará com a participação do setor privado, com dezenas de empresários, além de presidentes de entidades, como Antônio Jorge Camardelli Presid  da  ABIEC - Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne, para quem "o contato pessoal entre representantes dos países é fundamental para que haja maior integração entre o empresariado".

Na pauta da viagem, vários encontros oficiais com autoridades do governo iraniano, o seminário "Brasil - Irã Encontro de Negócios: novas perspectivas no comércio Agrícola e investimentos" que ocorrerá na Câmara do Comércio, Indústria e Agricultura, o evento de divulgação da Carne Brasileira na embaixada do Brasil no Irã e visitas técnicas organizados pelo Governo Iraniano.

Uma das propostas a ser discutida esta a criação do Comitê Consultivo Agricola (CCA) entre Brasil e Irã. O Brasil deve ser provocado a falar sobre as negociações para facilitar operações financeiras com Irã, quem tem restrições do governo americano e cuja pauta interessa também aos empresários brasileiros. Outro tema de interesse é a visita de missão técnica do Irã para habilitação de novos estabelecimentos do Brasil. 

Fonte: Redação com Olhar Direto