Boa tarde, Sexta Feira 18 de Agosto de 2017
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Pela 1ª vez em MT, Temer deve participar de eventos do agronegócio

GC Notícias | 10/08/2017 16:45
(Foto: Evaristo Sa/AFP)

Temer participará no lançamento da colheita de algodão e na inauguração de usina de etanol de milho

A primeira visita do presidente da República, Michel Temer (PMDB), a Mato Grosso, desde que assumiu o mandato em julho do ano passado, está agendada para esta sexta-feira (11). Ele deve participar do lançamento da colheita de algodão e da inauguração da primeira usina exclusiva de produção de etanol de milho do país, em Lucas do Verde, a 147 km de Sinop.

A assessoria da Presidência da República informou que ele deve desembarcar no aeroporto da Capital do Nortão Sinop, às 6h30 (7h30 no horário de Brasília) e depois seguirá para Lucas do Rio Verde de helicóptero, para evento na Fazenda Boa Vista, do empresário do ramo do agronegócio Evandro Cortezia, marcado para as 7h (8h no horário de Brasília).

Às 9h (10h no horário de Brasília), ele deve visitar para a primeira indústria do Brasil a produzir etanol usando exclusivamente o milho como matéria-prima.

O governador de Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB), irá acompanhar Temer nos eventos.

GCNotícias+

A usina possui 250 mil metros quadrados e surgiu de uma parceria entre uma empresa brasileira e uma norte-americana.

Na construção, foram gastos aproximadamente R$ 450 milhões, segundo Henrique Ubrig, presidente da FS Bioenergia. A escolha de Lucas do Rio Verde para a construção da empresa se deve ao fato de o município ser o maior produtor de milho do estado e, consequentemente, a matéria-prima tem o preço um pouco mais baixo.

Mato Grosso produz cerca de 30 milhões de toneladas de milho ao ano e só 4 milhões destas são consumidas no estado. O restante é vendida para outros estados e até para fora do país. A expectativa é moer 600 mil toneladas de milho por ano.

A previsão inicial é produzir anualmente 240 milhões de litros de etanol de milho, além de 180 mil toneladas de farelo, 6 mil toneladas de óleo de milho e energia, gerada a partir da queima de eucalipto.

Fonte: G1