Bom dia, Sexta Feira 24 de Novembro de 2017
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Petição pública pede a cassação de dois vereadores por nepotismo

GC Notícias | 17/10/2017 17:06

Billy Dal Bosco e Lindomar Guida são acusados de praticar nepotismo cruzado

Uma petição pública on line que mobilizou 1,8 mil eleitores de Sinop pede para que dois vereadores tenham seus mandatos cassados sob a acusação de nepotismo cruzado. O autor da denúncia e também da mobilização é o advogado Vilson Paulo Vargas, conhecido como Dom Quixote, que recentemente atuou na defesa do processo de cassação do vereador Fernando Brandão. A petição on line foi iniciada no dia 10 de outubro, e encerrada na tarde de ontem, segunda-feira (17), quando Vargas oficializou a denúncia junto aos 15 vereadores da Câmara.

Os alvos da petição são os vereadores Billy Dal Bosco (PR) e Lindomar Ferreira Guida (PMDB). Billy é acusado de nepotismo cruzado em função das suas duas filhas, lotadas em cargos na organização social que administra a saúde do município, a Adesco. As filhas do vereador exercem atividades junto ao município, em caráter temporário, graças a contratação indireta feita pela Oscip. Os cargos ocupados tem uma remuneração média de R$ 3 mil.

Contra Billy pesa ainda a sua condenação pelo Tribunal de Justiça Desportiva a ficar um ano sem entrar em estádios de futebol. A pena foi imposta no julgamento do dia 20 de setembro, após o Sinop Futebol Clube ter sido denunciado. De acordo com relato do árbitro da Federação Mato-grossense de Futebol, o vereador ameaçou o juiz da partida: “Você faz m.... aqui seu safado, que eu mesmo com as minhas mãos quebro você no pau, pois sou autoridade e mando nesta cidade, e nem a polícia vai salvar a sua pele”, disse o vereador.

Lindomar Guida é acusado de nepotismo cruzado com a alegação de que sua filha ocupa um cargo na saúde pública de Sinop através da contratação indireta feita pela Adesco.

 “Nós estamos acompanhando de perto tudo o que acontece na cidade. As informações das filhas desses parlamentares nos cargos são públicas e isso é inadmissível. Na justiça, o protocolo vai ser diferente porque na Câmara é interna corpus, mas não vamos deixar passar mais essas aberrações na nossa política. O país já está mudando e nós temos que ter coragem para acompanhar essa mudança”, enfatizou o advogado.

O corregedor da Câmara, o vereador Luciano Chitolina (PSDB), pretende tomar conhecimento formal das denúncias para se manifestar sobre o assunto.

 

Outro lado

O vereador Billy Dal Bosco se limitou a dizer que vai esperar ser notificado sobre as acusações para se pronunciar. “Eu não sei de nada disso, vou ver o que é e depois de falar com meu advogado me pronuncio”, disse.

Já o vereador Lindomar Guida disse estar tranquilo a respeito do caso. Ele afirma que a sua filha é maior de idade e que teria passado por um processo seletivo há tempos. “Acho que eu estou incomodando porque vim da periferia. Olha, se tiver isso mesmo, de nepotismos, tem que cassar mesmo, mas o que tenho a dizer é que nem conheço esse povo e que não fiz nada, então estou bem tranquilo”, revelou ainda dizendo que não vai pedir para a filha deixar o cargo porque não pediu para ela entrar.

Fonte: Jamerson Miléski com informações de Publica MT