Bom dia, Quarta Feira 13 de Dezembro de 2017
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Secretário de Saúde entrega carta de exoneração

GC Notícias | 20/04/2017 18:18

Manoelito Rodrigues confirma sua saída da secretaria de Saúde de Sinop

Conforme o GC Notícias antecipou, o secretário de Saúde de Sinop, Manoelito Rodrigues, entregou nessa quinta-feira (20), a carta com seu pedido de exoneração, para a prefeita Rosana Martinelli (PR). Em três páginas, o ex-secretário reporta os avanços que alcançou nos dois anos que conduziu a pasta, agradece a oportunidade de prestar serviços para a saúde pública e enaltece o grupo político do qual passou integrar, mostrando um forte desejo de que as coisas continuem melhorando em Sinop.

Totalmente informal e fora de qualquer protocolo, a carta de exoneração redigida por Manoelito não traz afrontas ou um desabafo profundo contra a gestão municipal – o que era esperado, uma vez que sua saída teria sido motivada por divergências com parte da equipe da atual prefeita e intervenções diretas em sua forma de conduzir a secretaria. Ao invés disso, Manoelito reconheceu a dificuldade de promover saúde gratuita e de qualidade em um município com alta demanda de serviços e um déficit histórico em sua estrutura. “Durante o período de gestão vivido por mim, pautei-me pela realidade política, econômica e social do meu município, tanto quanto pela necessidade dos serviços de saúde da nossa sociedade. Assim, me comprometi a fazer o melhor, embora o desafio de fazer o melhor fosse tão imenso e tão desgastante como o simples ato de justificar o injustificável, zelar pela vida e garantir a continuidade dela ao depender de ações de serviços em saúde, não mais alivia a dor, nem o sofrimento, tampouco o luto de familiares em decorrência da ausência do pode público, e a satisfação à procura de culpado, não ignorando a nossa parcela de culpa, não me serve mais como desculpa”, relatou Manoelito em sua carta.

Funcionário público concursado pelo Estado há 17 anos, lotado no Polo Regional de Saúde, Manoelito assumiu a secretaria de Saúde de Sinop em março de 2015, ocupando o lugar do médico e vereador, Francisco Specian Junior. Em dois anos, ele promoveu a abertura de 10 novas unidades de saúde, abriu o novo Centro de Especialidades Médicas, passou a gestão da UPA para uma Oscip (economia de R$ 300 mil/mês), implantou o Protocolo de Enfermagem no município, o regulamento da Sala de Vacinas, a Comissão integrada de Ensino e Serviço, o regulamento das Aulas Práticas e a Coordenadoria de Assistência Farmacêutica, além de promover a reformulação do Conselho Municipal de Saúde, antes com 9 membros e hoje composto por 32 entidades do município. Foi um secretário “técnico”, criando e organizando estruturas de gestão essenciais para o funcionamento do modelo SUS. Sua aprovação só não foi completa porque a saúde é um gargalo do serviço público em Sinop (assim como em boa parte do país). Apesar dos esforços e das ações construídas nos últimos anos, a saúde pública de Sinop ainda tem uma avaliação bastante negativa frente a população.

A carta foi lida pelo secretário para sua equipe nessa quinta-feira, em um ritual de despedida e agradecimento. Por enquanto, o secretário adjunto de Saúde, Marcelo Klement assume a função.

 

Troca de Oscip

Manoelito foi o responsável pela implantação do modelo de gestão da saúde através de Oscip (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público). Através desse expediente, o ex-secretário conseguiu ampliar o atendimento da rede municipal de saúde em um momento que a prefeitura não possuía lastro orçamentário para contratar mais profissionais. A Oscip contratada, no caso a Adesco, forneceu mão de obra para a UPA e demais unidades do município. São mais de 280 profissionais contratados dessa forma, respondendo por aproximadamente 30% da saúde pública de Sinop.

Agora a administração municipal pretende romper o contrato com a Adesco, mas não com o modelo. A gestão da prefeita Rosana Martinelli (PR), pretende lançar um novo edital para contração de uma Oscip. A forma como esse processo foi construído foi uma das motivações para que Manoelito deixasse o cargo.

A previsão era de que o edital de Chamamento Público seria lançado esta semana, o que não aconteceu. 

Fonte: Jamerson Miléski