Bom dia, Domingo 21 de Outubro de 2018
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Silvano e Dilmar lideram pesquisa para deputado estadual entre os eleitores de Sinop

GC Notícias | 16/09/2018 07:10

Deputados estaduais foram os mais lembrados na pesquisa

O Instituto Real Dados, a pedido do site GC Notícias, também avaliou as intenções de voto do eleitorado de Sinop na disputa para deputado estadual. Os dois representantes do município constituídos na Assembléia Legislativa também são os favoritos do eleitorado para permanecer no cargo.

A amostragem foi apurada na modalidade espontânea, em que o nome dos candidatos não são apresentados para o eleitor. O deputado estadual Silvano Amaral (MDB), liderou a pesquisa. Ele obteve 6,6% das intenções de voto. “Colado” com ele está o deputado estadual por dois mandatos, Dilmar Dal’Bosco (DEM), com 6,2%.

A massa do eleitorado sinopense ainda não se decidiu em quem vai votar para ocupar uma das 24 cadeiras da Assembléia Legislativa. 55,4% se declararam indecisos quanto ao voto para deputado estadual. 11,2% pretendem anular o voto. Brancos somam 3,8%.

A lista de candidatos lembrados pelo eleitorado local segue com 4 nomes que possuem sua base eleitoral em Sinop. O vereador Adenilson Rocha (PSDB), teve 4,2% das intenções de voto. O também vereador Ícaro Severo (PSDB), registrou 3,2%. O professor e vereador Hedvaldo Costa (PR), foi lembrado por 1,6% dos eleitores. Professora Branca (PR), 1,4%. Outros 8 candidatos receberam menos de 1% das intenções de voto. Candidatos com apenas uma citação, somaram 3% dos votos.

 

A pesquisa

O levantamento realizado pela Real Dados foi contrato pelo Site GC Notícias e está registrado no TSE com o número MT-07720/2018. Foram realizadas 500 entrevistas, em um grupo amostral que traduz a composição do eleitorado de Sinop, levando em consideração o percentual de homens, mulheres, bem como a faixa etária e o nível de escolaridade. O levantamento de campo ocorreu entre os dias 6 e 11 de setembro. A pesquisa tem um intervalo de confiança de 95% e uma margem de erro de 4%, para mais ou para menos.

Fonte: Jamerson Miléski