Bom dia, Quarta Feira 26 de Julho de 2017
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

MT espera vacinar 30 milhões de cabeças de bovinos contra aftosa

GC Notícias | 27/04/2017 15:11

Mato Grosso está livre da febre aftosa há 20 anos com vacinação

Bovinos e bubalinos de mandando a caducando devem ser vacinados em Mato Grosso entre 1° e 30 de maio. A expectativa é que sejam imunizados contra a febre aftosa 30 milhões de animais. Em 2017, entra em vigor a alteração do calendário de vacinação que até 2016 tinha o mês de maio voltado para a imunização do gado de 0 a 24 meses. Somente em Cáceres deve ser vacinados mais de 1,113 milhão de cabeças e em Vila Bela da Santíssima Trindade 1,003 milhão.

Em agosto de 2016 o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e o Governo de Mato Grosso, por meio do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea), atenderam pedido do setor pecuário de Mato Grosso e inverteu o calendário de imunização do rebanho bovino e bubalino contra a aftosa. Com a alteração animais de 0 a 24 meses passam a ser vacinados em novembro, enquanto de todas as idades em maio.
 
Devido às chuvas intensas em novembro, o manejo do animal é mais delicado e a disponibilidade de pasto é menor neste  período. Assim, havia maior perda de peso e a recuperação era mais lenta. Além disso, a vacinação em novembro coincidia com a estação de monta, quando os animais estão em fase de reprodução", explica o gerente-executivo do Fundo Estadual de Defesa Agropecuária (Fesa), Juliano Ponce.
 
O presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Marco Túlio Soares, lembra que recentemente foi anunciada a retirada da vacina contra a febre aftosa em 2021. "Para que isso aconteça é imprescindível a vacinação em todas as etapas para consolidar a erradicação da doença. O produtor do Estado já demonstrou seu compromisso com a sanidade animal e há anos vem cumprindo seu papel e imunizando o rebanho".
 
Conforme o presidente da Acrimat, a mudança no calendário da vacinação contra a aftosa no Estado deverá facilitar o manejo e a manutenção do status sanitário de livre da doença com imunização.
 
O diretor da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Antônio Carlos Carvalho de Sousa, observa que "novembro é um mês em que os produtores que fazem Integração Lavoura-pecuária (ILP) estão semeando a soja e a vacinação de todo o rebanho gera mais trabalho do que em apenas nos animais jovens".
 
De acordo com dados do Indea, Mato Grosso conta com 105 mil propriedades de bovinos. O Instituto fiscaliza em média 3% a 4% destas propriedades, ou seja, em torno de 30 mil fazendas.
 
Conforme a diretora técnica do Indea, Daniella Bueno, o órgão aproveitará para fazer uma atualização do estoque (número) de animais nas propriedades rurais do Estado. "O produtor é obrigado a fazer essa comunicação porque, a posteriore, caso haja divergência, ele pode ser alvo de fiscalização".

Fonte: Viviane Petroli - Olhar Direto