Boa tarde, Terça Feira 18 de Dezembro de 2018

Rural

MT espera vacinar 30 milhões de cabeças de bovinos contra aftosa

Mato Grosso está livre da febre aftosa há 20 anos com vacinação

Vacinação | 27 de Abril de 2017 as 15h 11min
Fonte: Viviane Petroli - Olhar Direto

Bovinos e bubalinos de mandando a caducando devem ser vacinados em Mato Grosso entre 1° e 30 de maio. A expectativa é que sejam imunizados contra a febre aftosa 30 milhões de animais. Em 2017, entra em vigor a alteração do calendário de vacinação que até 2016 tinha o mês de maio voltado para a imunização do gado de 0 a 24 meses. Somente em Cáceres deve ser vacinados mais de 1,113 milhão de cabeças e em Vila Bela da Santíssima Trindade 1,003 milhão.

Em agosto de 2016 o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e o Governo de Mato Grosso, por meio do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea), atenderam pedido do setor pecuário de Mato Grosso e inverteu o calendário de imunização do rebanho bovino e bubalino contra a aftosa. Com a alteração animais de 0 a 24 meses passam a ser vacinados em novembro, enquanto de todas as idades em maio.
 
Devido às chuvas intensas em novembro, o manejo do animal é mais delicado e a disponibilidade de pasto é menor neste  período. Assim, havia maior perda de peso e a recuperação era mais lenta. Além disso, a vacinação em novembro coincidia com a estação de monta, quando os animais estão em fase de reprodução", explica o gerente-executivo do Fundo Estadual de Defesa Agropecuária (Fesa), Juliano Ponce.
 
O presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Marco Túlio Soares, lembra que recentemente foi anunciada a retirada da vacina contra a febre aftosa em 2021. "Para que isso aconteça é imprescindível a vacinação em todas as etapas para consolidar a erradicação da doença. O produtor do Estado já demonstrou seu compromisso com a sanidade animal e há anos vem cumprindo seu papel e imunizando o rebanho".
 
Conforme o presidente da Acrimat, a mudança no calendário da vacinação contra a aftosa no Estado deverá facilitar o manejo e a manutenção do status sanitário de livre da doença com imunização.
 
O diretor da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Antônio Carlos Carvalho de Sousa, observa que "novembro é um mês em que os produtores que fazem Integração Lavoura-pecuária (ILP) estão semeando a soja e a vacinação de todo o rebanho gera mais trabalho do que em apenas nos animais jovens".
 
De acordo com dados do Indea, Mato Grosso conta com 105 mil propriedades de bovinos. O Instituto fiscaliza em média 3% a 4% destas propriedades, ou seja, em torno de 30 mil fazendas.
 
Conforme a diretora técnica do Indea, Daniella Bueno, o órgão aproveitará para fazer uma atualização do estoque (número) de animais nas propriedades rurais do Estado. "O produtor é obrigado a fazer essa comunicação porque, a posteriore, caso haja divergência, ele pode ser alvo de fiscalização".

COMENTARIOS