Bom dia, Quarta Feira 13 de Dezembro de 2017
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Semeadura em Mato Grosso abre oficialmente a safra 2016/2017 de soja

GC Notícias | 23/09/2016 09:06
Foto: Simone Casagrande

Palestras técnicas e a semeadura simbólica de soja em uma área de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) marcaram a Abertura Oficial do Plantio da Soja Safra 2016/2017 nesta quinta-feira na Embrapa Agrossilvipastoril, em Sinop (MT). O evento reuniu agricultores, representantes de diferentes instituições do setor produtivo e autoridades.

A semeadura inicial foi feita com três plantadeiras comandadas pelo ministro interino da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Eumar Novacki, pelo secretário de Política Agrícola, Neri Geller e pelo presidente da Aprosoja Brasil, Marcos da Rosa.

Na safra que se inicia a expectativa é que o Brasil bata seu recorde de produção de soja, ultrapassando pela primeira vez a barreira das 100 milhões de toneladas. De acordo com a Conab, caso não haja frustrações de safra em grandes áreas, como ocorreu no ano passado, o país deverá colher 103 milhões de toneladas. Confirmando-se esse número, será um aumento de quase 8% em relação a 2015/2016.

A área plantada prevista para esta safra é de 33,7 milhões de hectares, aumento de 1,3% em relação ao ano anterior.

Em Mato Grosso, a previsão do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) é de uma colheita de 29,9 milhões de toneladas em uma área semeada de 9,37 milhões de hectares.

Esta foi a segunda vez que a abertura oficial do plantio foi realizada em área de ILPF na Embrapa Agrossilvipastoril. Para o chefe-geral da Embrapa Agrossilvipastoril, Austeclínio Lopes de Farias Neto, o evento é uma boa oportunidade para mostrar as potencialidades dos sistemas integrados de produção.

"A gente percebe nas palestras e também nas visitas ao campo a motivação e o interesse das pessoas em relação à ILPF. Mesmo com o esforço feito pela Embrapa em divulgar essas informações, um evento como este é uma oportunidade para que mais pessoas conheçam os benefícios desses sistemas produtivos", afirma o chefe-geral.

 

Informação técnica

Além do ato oficial do plantio, o evento contou com dois dias de palestras em um seminário que teve como tema as técnicas de produção para redução de custos. Com palestrantes da Embrapa, de consultorias e de instituições parceiras do evento, foram discutidas questões como gestão da propriedade, controle de plantas daninhas e técnicas de aplicação, desafios da biotecnologia, manejo de doenças, fertilidade de solos, técnicas de rochagem, agricultura fermentativa, avaliação econômica de sistemas ILPF, entrou outras.

O aumento do custo de produção têm sido uma das principais preocupações dos produtores. De acordo com o Imea, o custo do hectare de soja em Mato Grosso será em torno de R$ 3.275, um aumento de 8,5% em relação à safra passada. Isso significa que, com o valor atual do grão será necessário uma produtividade média de 53 hectares para que o produtor obtenha lucro.

"O desafio da produtividade é fundamental para garantir o lucro do produtor. Esta safra será muito desafiadora  e o produtor deverá ter especial atenção na condução da lavoura", avalia o superintendente do Imea, Daniel Latorraca.

Para o chefe-adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Agrossilvipastoril, Eduardo Matos, o aumento dos custos, sobretudo dos gastos com defensivos, reforça a necessidade do bom manejo da lavoura, observando os preceitos do manejo integrado de pragas, por exemplo.

A abertura da safra de soja faz parte do Projeto Soja Brasil do Canal Rural. Neste ano foi realizada pelo Canal Rural em parceria com a Aprosoja Brasil e Senar-MT. A Embrapa faz a coordenação técnica das atividades.

 

Visita técnica

Paralelamente ao evento de Abertura do Plantio da Safra, foi realizada na quarta-feira, dia 21, uma visita técnica ao campo experimental da Embrapa Agrossilvipastoril. Participaram um grupo de cerca de 30 dirigentes da Aprosoja de diferentes estados e jornalistas.

Durante a atividade os visitantes conheceram as pesquisas em andamento para avaliação de técnicas de recomposição de reserva legal, sobre sistema de integração lavoura-pecuária floresta com foco na pecuária leiteira e sobre sistemas ILPF visando a produção de carne, grãos como soja e milho e madeira.

Além de ver o campo experimental, o grupo pôde conhecer alguns resultados preliminares dos projetos.

"É um sistema totalmente diferente do Paraná, essa realidade é totalmente diferente da nossa. Aqui são áreas enormes, essa integração lavora-pecuária-floresta no Paraná quase não existe. Mas é claro que é sempre um aprendizado novo, a gente vem para conhecer coisas novas, para saber se tem alguma coisa que a gente pode levar para lá e tomar aproveitamento nas nossas áreas", disse o presidente da Aprosoja Paraná, José Eduardo Sismeiro.

Fonte: Gabriel Rezende Faria