Bom dia, Domingo 20 de Agosto de 2017
Saúde Coluna Social Classificados Sobre o Site Fale Conosco

Ajudar o próximo é motivação para doar sangue

GC Notícias | 22/11/2016 09:08
Foto: Meneguini/Gcom-MT

Doador de sangue há 18 anos, Sebastião Queiroz diz ser gratificante poder “salvar pessoas” com um gesto voluntário de ajudar o próximo. “Doo sangue desde 1998 e minha maior motivação é salvar vidas. Um tio meu já precisou de sangue dentro de uma unidade hospitalar. Doo sangue porque não há incômodo, só gratificação”.

Esbanjando saúde aos 51 anos, Giancarlo Bello também doa sangue regularmente. “Há 21 anos fui encorajado por um médico a ser doador. De lá para cá, estou sempre fazendo este gesto. Gosto de incentivar outras pessoas a fazerem o mesmo”, afirma.

Diariamente, passam entre 80 e 100 doadores pelo Hemocentro. O número é considerado bom, contudo, há fatores que fazem diminuir o número de doações, tais como: época chuvosa, frio, períodos que antecedem feriados prolongados, férias e carnaval.

“Nestes ciclos temos dificuldade em manter o estoque de sangue. Por isso sempre destacamos a importância da assiduidade na doação”, reforça a gerente de doação da unidade, Juliana Cintia da Silva.

Toda coleta do MT Hemocentro atende os leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) dos Prontos-Socorros de Cuiabá e Várzea Grande, Hospital Universitário Júlio Müller (HUJM) e do Hospital São Benedito.

Doadores merecem homenagens e agradecimentos. Pensando nisso, a programação da próxima sexta-feira (25.11) inclui, a partir das 8h30, a entrega de Moção para os parceiros e doadores regulares de sangue. Os convidados irão participar de apresentações de músicas clássicas, regionais e teatro.

 

Mitos

A gerente de doação explica que ainda há muitos mitos que rondam o ato de doar e esclarece que é um procedimento muito tranquilo e sem dor. “Ainda existe o receio por parte dos doadores por desconhecimento do processo. Antes de cada doação, são repassadas orientações sobre os procedimentos indicados para a pós-doação”, ressalta Juliana da Silva.

O candidato a ser doador de sangue faz um cadastro, com todas as informações pessoais e de saúde. Posteriormente, faz triagem hematológica seguida de triagem clínica.

Ainda segundo a gerente, o processo de doação de sangue dura 15 minutos. Quando a pessoa vai doar pela primeira vez, todo o procedimento de cadastro e triagem dura pouco mais de uma hora.

Experiente, a técnica de enfermagem que trabalha há 19 anos na instituição, Valdenir dos Santos Barbosa, conta que há muitos casos de pessoas que chegam para doar pela primeira vez com muito medo.

“Uns têm medo da agulha, outros de sangue, mas no fim entendem que doar sangue é muito tranquilo. Há doadores que chegam aqui por necessidade de ajudar algum familiar, mas passam a ser doadores regulares”, enfatiza.

 

Quem pode doar

O Ministério da Saúde recomenda que o doador compareça à unidade portando um documento oficial com foto, tenha mais de 50 quilos, esteja em bom estado de saúde e tenha uma alimentação saudável.

Homens podem fazer até quatro doações anuais, com prazo de dois meses entre cada uma. Já as mulheres podem fazer três doações por ano, com um espaço de quatro meses. Os candidatos precisam ter a partir de 16 anos a 69 anos, 11 meses e 29 dias.

Em cada coleta é retirado um volume de 450 ml de sangue. Recomenda-se, nas primeiras horas pós-doação, descanso, evitar atividade física e ingestão de bebida alcoólica.

Fonte: Hérica Teixeira | SES-MT