Boa noite, Sábado 08 de Agosto de 2020

Notícias dos Poderes

Fofoca política no “Zap”

| 16 de Julho de 2020 as 15h 13min

A plataforma que definiu o resultado da última eleição nacional já é ferramenta de uso comum na política de Sinop. Perfis falsos do Whatsapp, disparando mensagens para destruir a imagem desse ou daquele político – ou mesmo aspirante a político – já se tornaram mais comum que tatuagem de “santo” em pele de bandido. Toda semana nossa redação se depara com uma mensagem assim.

Hoje, quinta-feira (16), o GC Notícias acabou protagonizando uma dessas mensagens criminosas. A mensagem trazia uma figura com a foto dos 7 vereadores que se posicionaram contrários ao projeto de lei que dilatava o orçamento da prefeitura para investir em comunicação e publicidade. Nessa figura, atribuíam a estes vereadores a pecha de serem “contra a população”. Abaixo da imagem, havia um link do GC Notícias. Mais precisamente esse link aqui.

Primeiro e mais importante: essas mensagens em massa não foram contratadas ou disparadas pelo GC Notícias. A imagem também não foi elaborada pelo nosso site e, muito menos postada nele. Nem hoje e nem nunca será.

O link que a mensagem traz é real. Trata-se de um editorial feito pelo GC Notícias no dia 9 de julho – portanto antes do projeto de lei ser apreciado pela Câmara de vereadores de Sinop. O texto discorre sobre a visão do veículo de comunicação sobre tal matéria. Apenas isso. Não há qualquer traço de perseguição, apenas a amplitude do debate, saindo da calha rasa eleitoreira.

O que ocorreu foi que alguém, com interesses próprios, produziu a imagem, associou o link do GC Notícias (que é livre e acesso público), e contratou para, anonimamente, fazer sua mensagem chegar. A prática, embora usual, é reprovável. Esses disparos em massa custam dinheiro e, dessa forma, nada mais são do que campanha política antecipada. Propaganda covarde, que ao invés de promover algo tenta corroer a imagem do adversário.

A opinião do GC Notícias é diametralmente oposta a dos vereadores que reprovaram o projeto de lei. Isso é uma obviedade. Mas a divergência não nos motivaria, em nenhum momento, a utilizar artifícios que sempre reprovamos, seja de forma franca ou velada.

Prezamos pelo bom combate, pela informação com autoria, assinada por pessoas de verdade e CNPJs de verdade.

Agora cabe a Polícia Federal.